Jovem relata que foi convocada para entrevista de emprego, mas agência exigia curso de R$ 390,00 a R$1500,00 . Quality Jobs alega que emprego não estava garantido em contrato.

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) investiga uma agência de empregos na Zona Leste da cidade de São Paulo por prometer vagas de trabalho em troca da conclusão de um curso que ela mesma vende.

A empresa Quality Jobs – Assessoria e Treinamento busca candidatos em sites de emprego na internet e, com as informações do pretendente à vaga, faz contato convocando para uma entrevista.

Uma jovem que preferiu não se identificar disse que recebeu o contato de uma recepcionista da empresa e uma orientação incomum. “Ela me disse para desligar o celular e não conversar com as demais candidatas”, contou.

Em seguida, ela percebeu que não se tratava de uma entrevista de emprego. “Ele passou salário, benefícios, carga horária, função e, depois de tudo isso, concluiu: ‘você está contratada, mas eu preciso que você tenha um curso. Não se preocupa porque é um investimento. Você vai pagar esse curso e no seu primeiro pagamento a empresa te reembolsa’”, relatou.

O curso custava R$ 390, mas, desempregada e precisando de trabalho, pagou. Depois de efetuar o pagamento, ela contou que recebeu o contrato com uma cláusula sobre ausência de qualquer garantia de emprego ou vaga.

No site Reclame Aqui constam 217 denúncias de vagas falsas na capital paulista em 2018, muitas delas relacionadas à Quality Jobs. A Fundação Procon também recebeu queixas sobre a empresa e encaminhou algumas denúncias ao MP-SP.

Em outubro, a instituição abriu um inquérito para apurar a atuação da Quality Jobs. Seis pessoas foram ouvidas pela promotoria, que vai entrar na Justiça com uma ação civil pública contra a empresa.

“Caso fique realmente demonstrada será proposta uma ação civil pública de maneira a fazer cessar essa prática abusiva que, pelo que nós tomamos conhecimento, permanece. E também buscar o ressarcimento dos consumidores que foram lesados”, explicou o promotor de Justiça do Consumidor Luiz Ambra Netto.

O advogado da Quality Jobs disse em nota que a empresa atua na área de treinamento e capacitação e que, por força de contrato assinado entre as partes, não garante emprego. Ele disse ainda que a empresa indica alunos para entrevistas, mas que a contratação depende da aprovação do candidato no processo seletivo.

A Infojobs, plataforma usada pela empresa para ter acesso ao e-mail dos desempregados, disse que cancelou o cadastro da Quality Jobs assim que tomou conhecimento das denúncias.