O ministro Paulo Guedes, do governo Bolsonaro, afirmou anteriormente que o salário mínimo não teria mais aumento acima da inflação. Tudo isso porque os reajustes acima da inflação causam um impacto muito grande.

Segundo o que foi dito por Guedes, a cada R$ 1 aumentado no salário mínimo, o impacto é de R$ 300 milhões. Mas, hoje (14), o ministro anunciou uma mudança histórica no salário mínimo, pois este recurso dependerá das reformas que estão propostas pelo governo. O anúncio aconteceu na audiência pública na Comissão Mista do Orçamento do Congresso Nacional, com deputados e senadores.

Guedes confirmou que o salário mínimo só terá um aumento real após reformas, principalmente da Previdência, serem aprovadas.

Segundo o presidente Jair Messias Bolsonaro, caso a reforma previdenciária não seja aprovada, o Brasil quebraria em 2022 ou 2023. Já foi anunciado por Paulo Guedes que certas medidas têm que serem tomadas para que o Brasil retome o crescimento na parte econômica.

Temos até 31 de dezembro para criar uma trajetória [para o reajuste do salário mínimo]. Se for criado algum espaço fiscal, isso pode ser usado lá na frente. Se não for feita [nenhuma reforma], o período de austeridade será mais longo“, disse Guedes, sobre o salário mínimo, durante a audiência.

Em 2020, o salário mínimo será aumentado para de R$ 998 para R$ 1.040. O valor é de acordo com o que a inflação deve crescer. No entanto, o aumento real ainda não existirá. A expectativa é que reformas sejam aprovadas e que o governo consiga mudar esta situação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui