Há anos que a empresas de turismo Royal Holiday vem lesando consumidores brasileiros por meio da venda de pacotes de férias para 30 anos, aparentemente vantajosos para o cliente no momento da transação comercial, mas que se mostram extremamente desvantajosos após a venda.

A Royal Holiday induz os consumidores ao erro de diferentes formas, fazendo uso de diferentes artifícios e meios fraudulentos. Apenas no Brasil são mais de 9 mil clientes enganados, além de clientes atingidos em outros países.

A empresa tem como meta associar o máximo de pessoas possível e manter essas pessoas associadas mesmo após elas haverem percebido terem caído em um golpe.

Caso o consumidor insista em se desligar da empresa terá de honrar clausulas contratuais que favorecem unilateralmente a empresa e que são extremamente desvantajosas para o consumidor, deixando para a empresa grande parte da importância paga sem receber qualquer benefício em troca.

Por ser parte vulnerável da transação a empresa sempre obtém vantagem sobre o consumidor, continuando a descontar de seu cartão de crédito por muitos meses mesmo após o cliente haver constatado ter sido vítima de um golpe e mandado suspender os descontos.

A empresa tenta vencer o consumidor pelo cansaço, deixando de responder às suas mensagens e obrigando-o a procurar a justiça e os órgãos de defesa do consumidor que dificilmente se empenham em resolver a questão de forma satisfatória.

Recentemente a empresa inclusive abriu falência, de forma a tentar se isentar completamente de responsabilidades perante seus consumidores. No entanto, apesar da “falência” ela mantem a captação de clientes, seja sob o nome de Royal Holiday, seja fazendo uso de outros nomes tais como Unique Vacation, Musco Viagens, MCO Holiday Club, Costamex, etc.

A “Falência” é apenas mais uma parte do golpe aplicado pela empresa, que em verdade goza de ótima saúde financeira, sendo ela pertencente a uma das maiores fortunas do México, o Sr. Pablo González Carbonell.

Esses artigos dão boa mostra de que a empresa, apesar da falência, goza ótima saúde financeira:

http://www.theworldfolio.com/news/pablo-gonzalez-carbonell-president-royal-holiday-club-group-mexico-n2994/2994/

http://royalholidaynews.info/blog/2014/07/08/tourism-slated-grow-mexico/

Trata-se, portanto, de uma empresa que não apenas abusa moralmente de seus clientes ou que abusa recorrentemente dos direitos do consumidor, mas efetivamente, de uma empresa que aplica golpe de ESTELIONATO no consumidor brasileiro.

O poder público não tem tratado das denúncias com a importância que lhes deve ser dada, assim sendo, nós abaixo assinados requeremos que o Ministério Público Federal tome as medidas cabíveis, de modo a proteger a sociedade brasileira da Royal Holiday, bem como que torne nulos todos os contratos assinados entre consumidores e a empresa, obrigando a mesma a ressarcir os consumidores lesados independente de sua alegação fraudulenta de falência.

Para assinar o abaixo-assinado contra a empresa, vá ao link: Impeça a empresa Royal Holiday de continuar aplicando golpes e fraudes

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here