Leitor estava recebendo o seguro-desemprego e agora não tem mais renda nenhuma e quer saber o que pode fazer para ter direito ao dinheiro do auxílio

É possível se cadastrar para receber o auxílio emergencial residual de R$ 300, que o governo pretende pagar em quatro parcelas até dezembro?

Essa é a pergunta do leitor Christian M, que escreveu para a coluna com essa dúvida:
Acabei de receber o seguro-desemprego dia 1º de agosto. Tentei me cadastrar para receber o auxílio emergencial mas não consegui. Tenho direito às parcelas? Que medidas posso tomar?Pergunta do internauta Christian

Resposta: Não há o que fazer nesse caso.

Apesar de o governo ter proposto pagar mais quatro parcelas do auxílio emergencial entre setembro e dezembro (medida que precisará ser aprovada pela Câmara e Senado para ser paga, inclusive), o último dia do cadastramento para receber o auxílio emergencial foi dia 2 de julho. Quem não se cadastrou até essa data não tem direito a pedir nem o auxílio emergencial e nem o auxílio emergencial residual.

E quem já estava recebendo o auxílio, precisa pedir para receber os R$ 300?

Não. O governo informa que quem estava recebendo continuará sendo avaliado de acordo com as novas regras e as parcelas serão pagas de forma automática para quem se encaixar nos critérios.

Todos vão receber as quatro parcelas de R$ 300?

Nem todos os que receberem o auxílio emergencial também irão receber todas as quatro parcelas de R$ 300 (ou R$ 600 no caso das mães que criam seus filhos sozinhas).

No total, será possível receber, no limite, nove parcelas: cinco parcelas do auxílio emergencial (de abril a agosto) e mais quatro parcelas de setembro a dezembro.

Segundo o Ministério da Cidadania, quem recebeu a primeira parcela do auxílio em abril terá direito às quatro parcelas de R$ 300, mas quem passou a receber a partir de julho, por exemplo, terá direito a apenas uma parcela extra, que será paga em dezembro.