Em visita a centro de atendimento à covid, presidente reafirmou que não permitirá Exército apoiando lockdowns

Em visita ao Centro Avançado de Atendimento Covid de Chapecó, em Santa Catarina, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (7), que não decretará lockdown nacional e reafirmou que não permitirá o uso das Forças Armadas para reforço das medidas de restrição adotadas por governadores e prefeitos. A fala se dá um dia após o Brasil registrar 4.195 mortes devido à pandemia em 24 horas, novo recorde.

‘Não vai ter lockdown nacional”, disse. “Como alguns ousam dizer por aí que as Forças Armadas deveriam ajudar nas restrições, nosso Exército nao vai ar rua para manter o povo dentro de casa. A liberdade não tem preço.”

Na presença do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, Bolsonaro insistiu em medicamentos sem compravação científica para pacientes contaminados com a covid.

“Porque não pode ter tratamento imediato? Tem que buscar outra alternativa. Como na Guerra do Pacífico… injetou água de coco na veia do indivíduo. E deu certo. O que fazer então para combater o coronavírus?”, questionou o presidente.

O chefe do Executivo criticou seu primeiro ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que se posicionou contra o uso de remédios como cloroquina e ivermectina e acabou exonerado.

Fonte: R7