O número de casos confirmados e mortes por covid-19 no Brasil chega ao nível mais alto em 1 ano, colocando o País no epicentro global da pandemia. Enquanto faltam leitos em hospitais, o governo federal avança pouco no enfrentamento à crise, com a campanha de vacinação em ritmo lento e a aprovação de um auxílio emergencial menor: o valor médio das parcelas deve cair para R$ 250 e 1 em cada 4 beneficiários deve ser excluído na nova rodada de pagamentos. 

Por isso, é importante destacar as vaquinhas e campanhas de solidariedade realizadas por movimentos, coletivos e organizações sociais com o objetivo de socorrer e garantir a sobrevivência das pessoas mais afetadas pela crise sanitária, social e econômica: a população indígena, negra, moradora de periferias, favelas e ocupações.

A Periferia em Movimento e o Nós, Mulheres da Periferia levantaram 26 campanhas para contribuir e amenizar o impacto da pandemia nas periferias de São Paulo e do Brasil. Confira abaixo!

Continua após o anúncio...

A lista segue em atualização. Se você tiver indicações de outras iniciativas, envie para os números de whatsapp (11) 957816636, do PEM e (11) 98782-3804, do NMP.

O Fundo solidário Rede de Apoio Humanitário ao combate da Covid-19 também criou um mapa interativo onde é possível encontrar outros lugares da cidade de São Paulo, que não necessariamente estão na lista abaixo. Confira aqui.

Zona Sul

  1. Brigada Catarina – Vila Santa Catarina

A comunidade de alunos da EMEF Bernardo O’Higgins e de trabalhadores da região se reuniu para apoiar as famílias na luta contra a pandemia. As doações de alimentos e produtos de limpeza são feitas a 150 famílias de estudantes da região da Alba e da Espraiada em situação de extrema vulnerabilidade. 

Como doar? Pela vaquinha virtual aqui.

  1. Casa do Zezinho – Parque Santo Antônio

Em 2020, a organização conseguiu distribuir mais de 18 mil cestas básicas e itens de higiene a famílias de mais de 1.300 crianças e adolescentes matriculados na instituição, que atua no Parque Santo Antônio e região. A retomada acontece diante do agravamento dos efeitos da covid-19, do desemprego e da fome. 

Como doar? Pela vaquinha virtual aqui.

Endereço: R. Anália Dolácio Albino, 77 – Parque Maria Helena

  1. Cooperativa de Catadoras da Granja Julieta

Impedidas de trabalhar por conta das restrições da pandemia, as famílias de 22 cooperadas que trabalham com reciclagem enfrentam dificuldades para comprar comida, gás e produtos de limpeza. Por isso, o grupo arrecada recursos financeiros para distribuir às mulheres. 

Como doar? Por transferência bancária para Mara Lúcia Sobral Santos, liderança da cooperativa (Banco do Brasil, agência: 5944-7, CC 205 886-3, CPF 183.032.128-50).

  1. Rede de Apoio no Campo Limpo

Após atender mais de 3 mil famílias em 2020, a articulação entre coletivos e organizações da região retoma a campanha para doar cestas básicas diante do agravamento da pandemia e a redução do valor ou exclusão de pessoas do auxílio emergencial.

Como doar? Pela vaquinha virtual (clique aqui) ou por depósito bancário (chave PIX: [email protected] – Nu Pagamentos em nome de Daniel Perez Duarte)

Organizações responsáveis: Coletivo Ifé, Coletiva Fiandeiras, Bloco do Beco, Coletivo Passo à Frente, Sarau do Binho, Biblioteca Comunitária Djeanne Firmino e UBM Capital

  1. Sociedade Santos Mártires – Jardim Ângela

Com diversos serviços assistenciais, a Sociedade Santos Mártires se mobiliza para auxiliar famílias no Jardim Ângela. A organização já distribuiu mais de 20 mil cestas básicas e mais de 4.500 vales-compra de R$ 300.

Como doar? Por depósito bancário para a Sociedade Santos Mártires, CNPJ 60731569/0001-59. Contas no Banco do Brasil (agência 4215-3; CC: 12101-0) ou Bradesco (agência 2744, CC 9545-1). Envie o comprovante para [email protected]

Endereço (se preferir levar pessoalmente): Paróquia Santos Mártires (rua Luís Baldinato, 09) ou Centro São José (Estrada da Riveira, 4624)

Mais informações pelo telefone (11 975352181) ou site.

6. Lar Maria e Sininha – Eldorado

Organização que atua na promoção, defesa e garantia de Direitos da criança e adolescente no jardim Mata Virgem, bairro do Eldorado, zona sul de São Paulo. Com a chegada da pandemia, o Lar tem socorrido e apoiado as mulheres da região com a distribuição de cestas básicas e trabalhos com foco na recolocação das atendidas no mercado de trabalho.

Como doar? Doe direto para a conta Itaú (Agência 0257 / conta corrente: 10.009-9) ou via Banco Bradesco (chave PIX: 60.556164/000121).

Endereço: R. da Saúde, 739 – Eldorado.

Mais informações por e-mail ([email protected]) ou instagram.

7. Comunidade de Samba Pagode Na Disciplina – Jardim Miriam 

A comunidade distribuído cestas básicas para famílias cadastradas da região desde 2020, além de entregar marmitas diariamente para pessoas que estão em condição de fome.

Como doar? Manifeste seu interesse de doação via Facebook ou a página do Instagram @disciplinajdmiriam

Mais informações com Luana Vieira pelo e-mail [email protected]

8. Grupo Espírita Fabiano de Cristo – Americanópolis  

Desde abril de 2020 a tradicional casa Fabiano de Cristo começou o serviço de assistência para as famílias impactadas pela pandemia.  Já conhecida pelo serviço de sopa e entregas de cesta básica, a crise causada pelo vírus intensificou este serviço. O grupo tem entregado cestas de alimentos, roupas e agasalhos todos os sábados.

Como doar? Você pode colaborar fazendo por depósito em conta: Banco Itau (Ag: 0846 – c/c: 00680-7) e ou Bradesco (Ag: 0837 – c/c: 96113-2).

Para entregas pessoalmente, o endereço é: Rua Delfino Facchina, 61 (Cidade Ademar) – Americanópolis.

Mais informações no site.

Extremo Sul

9. Ocupação Jardim da União – Grajaú

Mais de 500 famílias vivem na ocupação por moradia localizada no Grajaú – boa parte delas chefiadas por mães solos, que atuam como diaristas, empregadas domésticas, terceirizadas da limpeza, manicures ou ambulantes, que ficaram sem renda devido à pandemia de coronavírus. 

Como doar? Pela vaquinha virtual aqui.

10. Travas da Sul – Grajaú

Coletiva formada por e para pessoas LGBTQIA+, a Travas da Sul realiza ações artísticas e, desde o início da pandemia de coronavírus, distribuiu mais de 500 cestas básicas especialmente para a população transvestigênere. Agora, a meta é conseguir comprar e distribuir mais 150 cestas.

Travas da Sul distribui cestas para população LGBTQIA+ (Foto: Divulgação)

Como doar? Pela vaquinha virtual (aqui) ou transferência bancária (chave PIX 39123985852, em nome de Diogo Emanuel)

Mais informações pelo instagram aqui.

11. Rede Fundão do Grajaú

Formada por moradores, lideranças comunitárias e trabalhadores da saúde, da educação, da assistência social e da cultura, a Rede Fundão do Grajaú atua diretamente com pessoas que vivem em bairros à margem da represa Billings, em situação de alta vulnerabilidade. Por isso, se mobiliza diante do atraso da vacinação e das restrições do auxílio emergencial para socorrer a população.

Como doar? Pela vaquinha virtual aqui.

Zona Noroeste

12. Apoio Mútuo Jaraguá Taipas

Organizada pelo Coletivo de Mulheres da Noroeste, pela Organização Anarquista Socialismo Libertário e pela Rede de Proteção e Resistência ao Genocídio, o Apoio Mútuo Jaraguá Taipas arrecada e distribui donativos para famílias da região Noroeste de São Paulo.

Em caso de dúvidas ou indicação de famílias necessitadas, entre em contato via facebook e pelo e-mail ([email protected]).

Como doar? Por meio de transferência bancária: utilize a chave PIX 11 99499-4465 em nome de Ana Claudia dos Santos para Caixa Econômica Federal (agência 3012, operação 001, CC 27113-8) ou Bradesco (agência 0504, C/C 0461469-0); ou faça pelo picpay @apoiomutuojaraguataipas, ou no paypal e Mercado Pago [email protected]

Rede de Apoio Humanitário nas Periferias (foto: Divulgação)

13. Doação Solidária Nós que Tá (Morro Doce)

De forma voluntária, moradores do Morro Doce organizam as cestas de alimentos que recebem da Uneafro, de empresas e comércios do bairro, assim como de moradores. Também realizam entregas de marmitex.

Como doar ou receber ajuda? Falar com Cida por meio do whatsapp 11 94666-3083.

Endereço: Coronel José Gladiador, 84, Morro Doce (Perus).

14. Projeto De ponta a ponta

Os integrantes compram alimentos de agricultores e os entregam às famílias em vulnerabilidade social.

Como doar? Por meio do Pay-pal clicando AQUI Banco do Brasil/ Agência 1552-0/ CC: 23462-1/CNPJ 07.037.770/000-1/58/Instituto Kairós.

Mais informações pelo telefone (11) 98716-2915 ou instagram.

15. Coletivo Cultural Esperança Garcia

Grupo formado por mulheres fundou o Quilombo da Parada, uma comunidade situada no morro do Estância Jaraguá que atende cerca de 150 famílias com ações culturais, sociais, educacionais e de meio ambiente. Nesta pandemia recebem cestas, máscaras e material de higiene para distribuir no Quilombo da Parada, Brasilândia (Viela 4), Jardim Arpoador (Francisco Morato), Embu Guaçu e Arthur Alvim (Asé Obá Onidajô Afonjá).

Como doar? Diretamente no local: Estrada do Alambique, 29A – Estância Jaraguá.

Mais informações: (11) 982507820 – e-mail: [email protected]

Zona Norte

16. Associação de Moradores do Alto da Brasilândia

Desde o começo da pandemia, a organização vem realizando doações, tanto de cestas básicas quanto de marmitas. Já foram entregues mais de 70 mil marmitas e a organização continua pedindo ajuda para continuar oferecendo o apoio.

É possível falar com Claudio Rodrigues por meio do número (11) 953303566. O endereço do local é Rua Ignácio Leopoldo de Camargo, 47, Brasilândia.

Como doar? Por meio do Paypal diretamente no site da organização (clique aqui); entrando em contato diretamente pelo whatsapp +55 11 95330-3566 ou por PIX: 8b36d4bf-e13d-496d-b1f9-0149bb475282

Mais informações no facebook, no instagram ou no site.   

Zona leste

17. Okupação Coragem – COHAB José Bonifácio

A Campanha Quebrada Solidária surgiu, em março de 2020, da união do C.O.R.A.G.E.M., do Resiste Quebrada e de vários outros coletividades da quebrada, com objetivo reduzir os impactos sociais causados pela pandemia do Covid-19.  Até o presente momento, foram arrecadadas e distribuídas mais de 1300 cestas básicas.

O que doar: alimentos, produtos de higiene, produtos de limpeza, máscaras, roupas, cobertores e valor monetário.

Como doar? Entrar em contato pelo whatsapp com Michele 99289-7608 / Nisia- 96024-5697

Devido a fase roxa é necessário entrar em contato por telefone e marcar horário para entregar a doação na Okupação, que fica na Rua Vicente Avelar, 53 – Praça Brasil. Cohab José Bonifácio. Fora dessa fase, o espaço fica aberto de terça à domingo.

18. Associação Meninas dos Olhos de Ouro – Cidade Tiradentes

A Associação recebe alimentos, produtos de limpeza e móveis para doação à famílias em situação de vulnerabilidade na Cidade Tiradentes, extremo da zona leste de São Paulo. 

Como doar? Entrar em contato com Fátima pelo número 11 977723744 ou ir até a associação que fica no endereço: Rua Luis Bordese, 93 – Sobreloja 7 – de segunda a sexta, das 10h às 17h30

19. Projeto ACNU (Amor de Cristo Nos Uniu) Cidade Tiradentes e Guaianases

Grupo católico que organizava retiros e encontros entre jovens. Desde o início da pandemia tem realizado ações para crianças e distribuído cestas básicas na região da Cidade Tiradentes e Guaianases.

O que doar? Alimentos não perecíveis e produtos de higiene

Como doar? Entrar em contato com Franklin pelo número 11 96745-0512 e combinar ponto mais próximo para entrega.

Zona Sudeste

20. UNAS Heliópolis e Região

A UNAS – União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região é uma entidade sem fins lucrativos que surgiu em 1978 enquanto comissão de moradores da favela de Heliópolis, que lutava pelo direito à moradia e posse da terra.

Há 1 ano realiza a campanha #HeliópolisNoCombateAoCoronavírus para apoiar as famílias que estão em situação de maior vulnerabilidade durante a pandemia.

Como doar? Pelo site (clique aqui) ou presencialmente. Basta entregar os itens em nossa sede, localizada na Rua Da Mina, 38 – Heliópolis, de segunda a sexta-feira, das 10hs às 16hs.

Região Central

21. Casa Laudelina – Canindé

A Casa Laudelina é fruto de uma ocupação de mulheres no bairro do Canindé. Há um mês acolhe, orienta e encaminha mulheres vítimas de violência. O funcionamento é voluntário e precisa de apoio para resolver questões urgentes de estrutura para poder dar atendimento digno para mulheres.

Para contribuir, há uma vaquinha on-line e também uma conta bancária reunindo contribuições financeiras, além de receber doações de alimentos e produtos de higiene e limpeza no local para montar cestas e distribuir para as mulheres em situação vulnerável.

Como doar? Na vaquinha online aqui. Para doar na conta bancária Caixa Econômica | Ag: 1367 | Conta Poup: 00032381-1 | Oper: 013 | CPF/CHAVE PIX: 091.182.556-80 | Titular: Rafaela Carvalho

Mais informações no facebook ou instagram.

22. Brigadas de Solidariedade 

As Brigadas de Solidariedade funcionam há um ano, desde o início da pandemia. Durante os meses da campanha eleitoral realizou seu trabalho sem divulgação, mas nunca deixou de atender centenas de famílias de forma continuada e outras centenas de forma pontual. As Brigadas reúnem doações, em dinheiro e em produtos, montam e distribuem cestas básicas e de higiene e limpeza para as famílias, orientam sobre os riscos da covid e como se proteger e fornecem máscaras e álcool em gel em bairros onde o Estado não garante os direitos básicos.

Doação em dinheiro BANCO 260 (NUBANK) | Ag 0001 | Conta 20080441-0 | Guilherme de Moura Brasil Júnior | CPF 422.678.358-19 | Pix [email protected] 

Mais informações: (11) 972906185 (Podemos gerar um boleto, solicitar pelo whatsapp) ou nas redes sociais (instagram e facebook).

Região Metropolitana de São Paulo

23. Ação de solidariedade entre trabalhadores da cultura – Osasco

Diante da falta de atenção das autoridades da cidade, um grupo auto-organizado arrecada produtos e recursos para colaborar na manutenção da vida de uma categoria que está entre a mais atingida pela crise provocada pela pandemia. Para as famílias que querem se cadastrar, é possível fazer isso clicando aqui.

Como doar? Pela vaquinha virtual ou com entrega de alimentos na rua Paulo Emydio Pereira, 322, bairro Bela Vista, em Osasco.

Nacional

24. Campanha Tem gente com fome

Com objetivo de entregar cestas básicas a 222 mil famílias em todas as regiões do Brasil, diversas organizações lançaram uma campanha nacional de enfrentamento à fome, à miséria e à violência na pandemia.

Como doar? Pelo site aqui ou transferência bancária (Chave PIX 11.140.583/0001-72, em nome da Associação Franciscana DDFP, Banco do Brasil, Agência: 1202-5, CC 73.963-4)

Organizações responsáveis: Coalizão Negra por Direitos, Anistia Internacional, Oxfam Brasil, Redes da Maré, Associação Brasileira de Combate às Desigualdades, 342 Artes, Nossas – Rede de Ativismo, Instituto Ethos, Orgânico Solidário e Grupo Prerrogativas.

25. Campanha dos povos indígenas do Sudeste

Com cerca de 200 aldeias dos povos guarani, tupi, kaingang, terena, krenak e tupiniquim, maxakali, xakriabá e xukuru-kariri, além de indígenas em situação urbana, a população indígena da região Sudeste não tem total autonomia para plantar e se alimentar só com os recursos da terra. E, diante da pandemia de coronavírus, os grupos sofrem risco real de sobrevivência. 

Como doar? Via transferência bancária para a Comissão Guarani Yvyrupa (CNPJ 21.860.239/0001-01, Banco do Brasil, agência 3560-2, conta corrente 25106-2). Para conferir os pontos de coleta presencial em toda a região, clique aqui.

Organização responsável: Comissão Guarani Yvyrupa

26. Povos de área urbana de Humaitá – Amazônia

A organização dos povos de área urbana de Humaitá (AM), além de lidar com a pandemia, sofre com a cheia dos rios. 

Como doar? Bradesco: Agência – 3713-3/ C/C – 15392-3/ Marivaldo do Nascimento/ CPF 580764412-34 ou via PIX: [email protected]/ PicPay: sn.jamille

27. Movimento Luta Popular

Com atuação em diversas ocupações por moradia, periferias e favelas do Brasil, o movimento Luta Popular mantém aberta uma campanha de solidariedade para arrecadar e distribuir alimentos, itens de higiene e limpeza, máscaras e álcool em gel. 

Distribuição de marmitas em ocupação de Jacareí, interior paulista (Foto: Luta Popular)

Como doar? Por depósito bancário para Daniela de Almeida Embom (CPF/chave PIX 31805150820, Banco do Brasil, agência 4752-X, CC17850-0).

28. Rede de cursinhos populares Uneafro Brasil

Presente em 31 bairros de São Paulo e Rio de Janeiro, a rede Uneafro está utilizando seus núcleos de educação popular para dar apoio a famílias que dependem do trabalho informal ou estão desempregadas. O objetivo é captar cerca de R$ 1 milhão.

Como doar? Pela vaquinha virtual ou transferência bancária (Chave PIX 11.140.583/0001-72, em nome da Associação Franciscana DDFP, Banco do Brasil, Agência: 1202-5, CC 73.963-4)

29. Cozinhas Solidárias do MTST
O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) implementou 16 cozinhas solidárias com o objetivo de impactar diretamente a vida da população mais vulnerável das periferias.

Há cozinhas nos estados de Roraima, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, duas no Distrito Federal, quatro nas periferias de São Paulo e uma na região do ABC paulista. As Cozinhas Solidárias funcionarão todos os dias distribuindo almoços grátis para as famílias das periferias dos centros urbanos do país. Num momento de pandemia e crise, a distribuição de refeições prontas beneficia diretamente mulheres, crianças e idosos.

Como doar? CHAVE PIX CNPJ: 28.799.171/0001-41/ Banco: Itaú/ Agencia: 8170/ Conta: 30682-6/ Associação Amigos da Luta dos Sem Teto/ CNPJ: 28.799.171/0001-41

Mais informações: https://apoia.se/cozinhasolidaria

Fonte: Por Nós, Mulheres da Periferia e Periferia em Movimento. Foto em destaque: Rede Grajaú Faz Assim