Auxílio deve ser pago em valores diferentes que levam em consideração a composição familiar. Governo excluiu beneficiários.

Os novos pagamentos do auxílio emergencial vão passar por um pente-fino que deve excluir cerca de 3 milhões de beneficiários que recebiam no ano passado. Isso porque o governo federal fez o cruzamento de 11 bases de dados, dentre elas o INSS, CAGED, MEI, CNIS e Imposto de Renda para conseguir revelar a situação de quem realmente precisa do auxílio.

Dessa forma, apenas digitando o CPF do beneficiário será possível consultar sua situação empregatícia, de renda, se recebe algum benefício, e sua declaração de Imposto de Renda, descobrindo se a pessoa tem ou não o direito de voltar a receber o benefício.

Quem não poderá receber o novo auxílio emergencial?

No geral, estarão vetados da nova prorrogação do benefício os cidadãos que recebem:

  • Seguro-desemprego
  • Aposentadoria
  • Pensão
  • Algum benefício previdenciário ou assistencial (excluindo o Bolsa Família)

De acordo com regras de 2020 que devem ser levadas adiante nesses novos pagamentos, aqueles que pentencem à família com renda superior a três salários mínimos (R$ 3.135,00) ou cuja renda mensal por pessoa da família seja maior que meio salário mínimo (R$ 522,50), não poderão receber.

Além disso, quem já conseguir um emprego formal e recebeu rendimentos tributáveis acima do teto de R$ 28.559.70 no ano anterior, conforme declaração do Imposto de Renda, também não deve ter direito ao pagamento.

Novos valores do auxílio emergencial

Como anunciado nessa semana pelo jornal o Globo, o auxílio deve ser pago em valores diferentes que levam em consideração a composição familiar. De acordo com o jornal, o pagamento se dará da seguinte forma:

  • Parcelas de R$ 375 – famílias de mulheres com filhos
  • Parcelas de R$ 150 –  famílias com apenas uma pessoa
  • Parcelas de R$ 250 – para todos os demais casos

A previsão é que os repasses de dinheiro comecem no 18 de março para os beneficiários do Bolsa Família e no fim do mês seja ampliado para as outras pessoas. A Caixa Econômica deve continuar pagando o benefício pelo aplicativo Caixa Tem.

Fonte: Edital Concurso Brasil