O pulmão do mundo está asfixiado, como lembram muitos internautas.

Em Manaus,o sistema hospitalar público está saturado e falta capacidade de atendimento, como mostram dezenas de vídeos postados no Twitter e no Facebook. Só nas últimas 24 horas, o Estado do Amazonas registrou 44 mortes e registrou 3.816 novos casos, o maior balanço desde o início da pandemia.

O cenário em Manaus é caótico: pessoas morrem sufocadas em hospitais lotados e perto de entrar em rutura. Médicos que não têm mãos a medir para tantos doentes são obrigados a transportar pacientes nos seus próprios carros.

As doses de emergência enviadas pela força aérea brasileira não foram suficientes para lidar com as vítimas da capital do Amazonas e o Governo brasileiro viu-se obrigado a apelar à ajuda internacional, pedindo aos Estados Unidos para disponibilizar aviões para ajudar a transportar oxigênio até Manaus. Até a Venezuela está nos ajudando.

Os profissionais da Saúde no Brasil estão implorando por ajuda diante do caos nos estabelecimentos hospitalares. Este é o título da reportagem publicada no site do jornal inglês The Guardian, que resume a situação catastrófica no país. A imagem das valas abertas para receber as vítimas da epidemia na primeira onda, publicada em jornais de todo o mundo, é um trauma que dificilmente será superado.

A situação já ganhou contornos trágicos, já passamos de 200 mil mortes no país. Enquanto isso, quem deveria cuidar dos nossos interesses politiza a doença. Uma vergonha !!!