É o equivalente a 10% do que o país faturou com exportações entre janeiro e agosto. Em carta, nações disseram que o aumento do desmatamento dificulta a compra de produtos brasileiros por consumidores do continente.

Os países europeus que disseram nesta semana que o aumento do desmatamento dificulta compras de produtos do Brasil foram responsáveis por cerca de 10% do que o agronegócio brasileiro faturou com exportações neste ano, de janeiro a agosto.

Alemanha, Dinamarca, França, Itália, Holanda, Noruega, Reino Unido e Bélgica, que assinaram carta ao governo brasileiro criticando “altas taxas” de “desflorestamento”, compraram US$ 6,77 bilhões em produtos agropecuários do Brasil no período, o equivalente a 9,71% do que o setor vendeu ao exterior (US$ 69,6 bilhões).

Para efeito de comparação, a China, maior cliente do agro, importou US$ 26,43 bilhões de janeiro a agosto, representando 37,96% das exportações brasileiras em valores.

Esses oito países europeus gastaram 4,15% mais com produtos do agro brasileiro do que em relação ao mesmo período de 2019 – o setor viu um crescimento nas exportações mesmo com a pandemia.

Vendas do agro a países da Europa — Foto: Juliane Souza/G1

Parte desse grupo também concorre com o Brasil no fornecimento mundial de alimentos e conta com subsídios da União Europeia para conseguir mais competitividade frente ao produto brasileiro