Ação é mais uma medida adotada no combate à COVID-19

Uma parceria entre Sabesp e Prefeitura de São Paulo vai
 construir 10 lavatórios em diferentes pontos do Centro da cidade para que
 a população possa lavar as mãos. A ação é mais uma medida adotada no
 combate à COVID-19. A previsão é que todos os equipamentos já estejam em
 funcionamento nesta semana. O primeiro foi implantado nesta quarta (25/3)
 na Praça da Sé.

 A Sabesp é responsável por montar a parte hidráulica dos lavatórios e a
 Prefeitura constrói toda a estrutura. Lavar as mãos é uma das formas de
 prevenção contra vírus. A construção desses equipamentos tem o objetivo de
 ajudar a população a manter os hábitos de higienização, inclusive na rua.

 Os lavatórios serão implantados nos seguintes endereços: Praça Ouvidor
 Pacheco; Largo São Bento; Largo do Paissandu; Pátio do Colégio; Praça da
 República; Largo do Arouche; Parque Dom Pedro II; Largo General Osório; e
 Praça da Liberdade.

 Ações contra o coronavírus

 A Sabesp já anunciou algumas medidas para auxiliar a população nesse
 momento. A Companhia está isentando do pagamento das contas de água e
 esgoto os clientes das categorias de uso Residencial Social e Residencial
 Favela. A ação é válida para todas as cidades do Estado operadas pela
 Sabesp, aproximadamente 2 milhões de pessoas que já têm o benefício serão
 atendidas pela medida, que vai valer por três meses (abril, maio e junho)
 para contas emitidas a partir de 1º de abril de 2020.

 A Companhia também vai distribuir 1.200 caixas-d’água para moradores de
 Paraisópolis que ainda não tenham o reservatório em seu imóvel. Isso vai
 prevenir que as pessoas fiquem sem água em momentos em que sejam
 necessários reparos emergenciais ou manutenções preventivas na rede de
 abastecimento.

 A ação ocorre para reduzir o impacto da pandemia COVID-19 na rotina dos
 cidadãos e ocorrerá em Paraisópolis em razão de sua característica
 topográfica. Trata-se de um bairro altamente adensado com partes altas,
 onde a água pode demorar mais tempo a chegar até os imóveis.

 A distribuição de caixas-d’água é uma medida que já foi adotada
 anteriormente pela Sabesp para ajudar moradores a se adaptarem à regra da
 ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), segundo a qual os
 domicílios devem ter caixa-d’água que seja capaz de suprir o abastecimento
 dos moradores por ao menos 24h.

 Outra medida implementada, também em parceria com a Prefeitura de São
 Paulo, é a ampliação da água de reuso. Por causa do coronavírus, a Sabesp
 está aplicando mais cloro para garantir mais eficiência no processo de
 higienização. A água de reuso é produzida nas estações de tratamento de
 esgoto (ETEs) – portanto, não serve para o consumo – e está sendo
 utilizada pela prefeitura na limpeza urbana, como ruas, trechos em frente
 de hospitais, pontos de ônibus e após feiras livres.

 Outra medida implementada é o aumento no volume de cloro aplicado na água
 de reuso, usada na limpeza urbana, para garantir mais eficiência no
 processo de higienização. A água de reuso é produzida nas estações de
 tratamento de esgoto (ETEs) – portanto, não serve para o consumo – e está
 sendo utilizada pela Prefeitura de São Paulo na limpeza de ruas, trechos
 em frente de hospitais, pontos de ônibus e após feiras livres.

 Atendimento digital e telefônico

 Para garantir o atendimento e solucionar ocorrências durante a pandemia
 COVID-19, a Sabesp ampliou os serviços disponíveis pela central de
 atendimento telefônico. Desde esta segunda-feira (23/3), as agências de
 atendimento ao público estão fechadas, como medida para ajudar a conter o
 avanço do coronavírus.

 •      Agência Virtual: No site www.sabesp.com.br.
 •      App Sabesp Mobile: Disponível nas plataformas iOS e Android, permite
 ainda o envio de fotos da ocorrência junto com a solicitação.
 •      Central de Atendimento: Os números são 0800 011 9911, para a Região
 Metropolitana de São Paulo; e 0800 055 0195, para interior e litoral. O
 atendimento é gratuito e funciona durante 24 horas.

 Não houve alteração no trabalho das áreas operacionais, de modo a garantir
 o pleno funcionamento do sistema de abastecimento e também de toda a
 infraestrutura de saneamento.