A população estimada em 380 mil habitantes, não tem idéia das riquezas escondidas no manto verde, capaz de inebriar os olhos e acalmar o usuário mais ansioso.

O parque está localizado a 200m da nascente do límpido córrego Itaquera, que cruza uma área preservada da Mata Atlântica.  A natureza sabiamente emoldurou uma grande área verde com o seu manto verde, quase no final do bairro, na divisa do município, como se fosse um carinhoso sorriso da divindade, mostrando a nossa pequenez diante do seu poder.

Estudos comprovam que caminhar em áreas verdes, como parques e jardins podem melhorar significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e a autoestima.

No bairro existem três parques: Consciência Negra, Vila do Rodeio e Ciência. Mas infelizmente apenas uma pequena parcela da população conhece este espaço.  Muitas vezes, passamos perto do pote de ouro literalmente, e não percebemos sua presença. Nesse caso, é a dádiva pulsante de vida verde que eclode daquele paraíso, em meio ao turbilhão de asfalto e concreto.

A natureza generosa reuniu em um só local e de maneira intimista, um dos mais biodiversos ecossistema da zona leste, ficando atrás apenas do Parque do Carmo e do Parque Natural Municipal Fazenda do Carmo.

 Segundo as últimas pesquisas, a vegetação nativa é composta por brejos com variadas espécies de vegetação, dentre as quais se destacam: samambaiaçus, samambaias do brejo, cabuçus, crindiúvas, cuvitingas, embaúbas prateadas, embaúbas vermelhas, guaramirins, ingás-ferradura, jacarandás paulistas, manacás da serra, pau-jacarés e tapiá-guaçus.

A fauna é composta por 101 espécies, sendo duas de borboletas, uma de réptil (o lagarto-teiú), duas de anfíbios anuros (sapo-cururu e sapo-martelo), duas de mamíferos (caxinguelê e gambá de orelha preta) e 94 de aves. Cuiú-cuiú, rabo branco de garganta rajada, tucano de bico verde, borralhara assobiadora, barranqueiro de olho branco, flautim e saíra-lagarta são algumas das aves endêmicas da Mata Atlântica que habitam o parque. Tico-tico, trinca-ferro verdadeiro, tico-tico do campo, inhambu-guaçu, sabiá-coleira, sabiá-una e João botina do brejo também vivem lá.

Os Guardiões do Parque

Eram exatamente 8h da manha de um sábado chuvoso, quando chegamos ao parque da Consciência Negra, para nossa entrevista com a senhora Kelly. Porém para nossa surpresa fomos recebidos pelo vira-lata Petrúcio e pelo segurança Robert, que há 4 anos trabalha no parque. Com muita emoção nos contou o zelo e o amor que dedica ao espaço. A sua alegria de trabalhar em meio à natureza, transborda nas suas palavras de carinho e zelo pelo ambiente. O vira- lata Petrúcio é uma espécie de cão de guarda do parque, que devido às suas peraltices, se embrenhou no meio da mata fechada e levou uma mordida de uma cobra, que estava escondida na mata silvestre. Porém o socorro veio de imediato. Fizeram uma vaquinha e conseguiram salvar o lindo animal.

No momento em que estávamos conversando, juntou-se a nós o seu Zé Antonio, um funcionário antigo do parque, na verdade um sábio. Ele conhece o parque e sua biodiversidade, incluindo as plantas medicinais, como a palma da mão. Orgulhoso, apontou as espécies e seus efeitos benéficos para a saúde, incluindo o cupuaçu, aproveitando para nos ensinar como colocar a semente para plantar, para assim dar origem ao colorau. Segundo ele, todo esse conhecimento é oriundo da sua infância na roça, no estado de Pernambuco.

No meio da entrevista, chegou à simpática voluntária Kelly, diretora de eventos da ACAAPESP (Associação dos Consultores Assessores e Articuladores Políticos do Estado de São Paulo) e Conselheira do Meio Ambiente da Cidade Tiradentes, também moradora do bairro, que com apoio da competente administradora Viviane Miranda, dedica sua vida para promover o parque, com eventos que tem a proposta de divulgar a beleza do parque e principalmente a importância da preservação da natureza.

A importância do Parque da Consciência Negra para a Cidade Tiradentes

Segundo o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que tem como título: “Levantamento da flora exótica do parque linear da Consciência Negra- São Paulo” do estagiário e graduando do Curso de Ciências Biológicas, Rodrigo Silva Horas Arrais, o parque possui 25 espécies exóticas distribuídas em 24 gêneros e 17 famílias. Os resultados obtidos apontam que há mais espécies exóticas do que constam num levantamento anteriormente realizado, sendo algumas consideradas exóticas invasoras.

Nas palavras de Rodrigo, o estudo tem o objetivo de contribuir com futuros planos de manejo do parque, para que se garanta a manutenção da biodiversidade do município, indo ao encontro do Plano de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica.

Ainda segundo o estudo, as espécies exóticas são aquelas que ocorrem fora do seu habitat ou ambiente natural.

Mais especificamente, as espécies exóticas invasoras são consideradas a segunda maior causa da perda da biodiversidade, só perdendo para ações do homem, como o desmatamento. As espécies exóticas invasoras são capazes de alterar os ciclos dos ecossistemas que invadem, além de competir com as espécies nativas.

Nesse mundo moderno, onde o capitalismo impera, e a pressa e a ansiedade estão por toda a parte, as belezas ao nosso redor passam despercebidas, e isso nos faz forasteiros no nosso próprio bairro.

Venha, mude um pouco, mude de calçada, venha se encontrar com a natureza no parque!

Aviso Importante

É aconselhável os visitantes não adentrarem à mata, sem a supervisão de uma equipe.

Horário de funcionamento:
6 às 18h 
Telefone:
(11) 2285-1940
Localização:
Rua José Francisco Brandão, 320, Cidade Tiradentes

No próximo dia 20 de novembro o Parque realizará uma grande festa de comemoração pelos 10 anos.

Por: Claudia Canto -Palestrante, Escritora e Jornalista Literária / 011-99881-1451 Fotos: Marcio Hajer