Aproximadamente 600 boletins de ocorrência de crimes envolvendo o pré-carnaval de rua foram registrados nos últimos três dias de folia em São Paulo. A maioria deles é de furto de celular. Há ainda relatos de arrastões cometidos por quadrilhas de jovens, alguns armados com revólveres, da noite de sexta-feira (22) a manhã de domingo (24).

Os outros registros são de roubo de documentos, assédio sexual e estelionato cometidos por ambulantes. O dado é parcial, mas pode aumentar já que as queixas foram registradas somente na Zona Oeste da capital. A festa, no entanto, ocorreu em toda a cidade.

Nesse período, foliões procuraram o 14º Distrito Policial (DP) ou fizeram boletim eletrônico para comunicar que foram atacados durante passagem dos blocos carnavalescos pela Vila Madalena, Largo da Batata, Rua dos Pinheiros e Avenida Brigadeiro Faria Lima, todos na região Oeste.

Detidos

Entre sábado (23) e domingo a polícia deteve ao menos cinco pessoas suspeitas de furtarem telefones e dinheiro dos foliões nas zonas Oeste e Zona Sul. Com os criminosos foram apreendidos 25 celulares, dois carregadores e R$ 613 em dinheiro que serão devolvidos aos donos.

Segundo policiais, os crimes são cometidos por quadrilhas formadas principalmente por adolescentes. Cerca de 20 menores de idade se juntam para furtar ou roubar as vítimas. Com 202 blocos desfilando na cidade neste final de semana, 89 só no domingo, as pessoas ficam próximas umas das outras facilitando a ação dos ladrões.

“Estão agindo em grupos. Vem um empurra. Vem uma moça, pede desculpas. E aí, quando vai ver a pessoa já levou seu celular, levou carteira…”, disse a recepcionista Thaisa Pereira.

“A mulher apertou o botão e saiu passando o celular”, comentou a estagiária Aline Rocha da Silva.

A gangue detida no domingo na Avenida Faria Lima agia como as vítimas relataram acima. Foram presos um homem e três mulheres. Com eles estavam 20 celulares furtados e roubados durante o desfile do Bloco Gambiarra.

A prisão do grupo ocorreu após a polícia localizar um dos aparelhos levados por meio do rastreador do celular.

Adolescente

Um dia antes, a Polícia Militar (PM) havia detido no sábado um garoto de 14 anos de idade suspeito de furtar celulares e dinheiro de foliões na Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, no Brooklin, na Zona Sul.

Segundo a PM, foram encontrados com o adolescente cinco celulares, dois carregadores e mais R$ 600. Os aparelhos e o dinheiro foram apreendidos juntamente o garoto e levados ao 27º DP, Campo Belo, onde o caso seria registrado.

Armados e arrastões

No sábado, um outro adolescente, este com 17 anos, foi vítima de três homens armados na Praça Pôr do Sol na Zona Oeste quando se deslocava para um bloco na Vila Madalena. Roubaram o celular dele.

Naquele mesmo dia foliões relataram estar ocorrendo arrastões no Largo da Batata, também na região Oeste.

O que diz a SSP

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que não possui um número fechado das ocorrências envolvendo o pré-carnaval de rua.

A pasta informou, no entanto, que a Polícia Civil reforçou os plantões nas delegacias e que a PM colocou 440 policiais, além do efetivo regular, nos corredores dos megablocos.

Fonte: As informações são do portal de notícias do ‘G1’.