O prefeito Bruno Covas, sancionou uma lei que possibilita concessões de áreas públicas do município à iniciativa privada. Piscinões, áreas sob viadutos e pontes, bibliotecas, museus, teatros e terminais de ônibus poderão ser concedidos.

A lei 17.258 de 07 de janeiro de 2020, foi publicada nesta quarta-feira, dia 8, e traz uma relação de multas em casos de descumprimento dos contratos e editais que podem variar entre 0,1% e 0,3% dos valores venais de terrenos e imóveis concedidos.

Em relação aos terminais de ônibus, é previsto a construção de novos imóveis nas áreas do entorno. O aluguel dos espaços já existentes para a exploração comercial também fará parte da remuneração.

Os terminais de ônibus vinculados ao Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros na capital paulista estão divididos em três blocos:

Bloco Noroeste:

Que corresponde aos terminais Amaral Gurgel, Campo Limpo, Casa Verde, Jardim Britânia, Lapa, Pinheiros, Pirituba, Princesa Isabel e Vila Nova Cachoeirinha, bem como o ponto de parada Eldorado e o ponto de parada Clínicas;

Bloco Sul:

Que corresponde aos terminais Água Espraiada, Bandeira, Capelinha, Grajaú, Guarapiranga, Jardim Ângela, João Dias, Parelheiros, Santo Amaro e Varginha;

Bloco Leste:

Que corresponde aos terminais Antônio Estevão de Carvalho, Aricanduva, Cidade Tiradentes, Itaquera II, Mercado, Parque Dom Pedro II, Penha, Sacomã, São Miguel, Sapopemba, Vila Carrão e Vila Prudente, bem como as Estações do Expresso Tiradentes.

Fonte: Diario do Transporte / Noticiando / imagem em destaque: Terminal de ônibus em São Paulo Foto: Adamo Bazani