Entre os indicados há dezenas de candidatos que perderam as eleições para vereador em 2016 e fazem parte dos partidos que compõem a base aliada dos três prefeitos do ABC, além de parentes de vereadores com mandato, secretários e ex-secretários das prefeituras. Com câmeras escondidas, o repórter Pedro Durán registrou como os vereadores interferem na fila. O código usado pra encurtar a espera por um especialista ou internação hospitalar é um cartão de visitas.

Funcionário entrega cartão de visitas do vereador Toninho Tavares (PSDB) com o nome de responsável por furar a fila em UBS. Câmera escondida/CBN (Crédito: )

POR PEDRO DURÁN (pedro.duran@cbn.com.br)
*colaboraram Paula Martini, Isabela Medeiros, Natalia Mota e Bianca Kirklewski

PARA VER A LISTA DE INDICADOS, COPIE ESTE LINK E COLE EM SEU NAVEGADOR: https://bit.ly/2KHyi8H

Entrar na fila do SUS pela porta… do gabinete de um vereador.

Tem sido assim nas cidades do ABC paulista, onde todo o sistema de saúde é comandado pela Fundação ABC, uma Organização Social gerida pela prefeitura de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul.

A CBN fez esse caminho e flagrou a negociação da facilitação de acesso em hospitais e clínicas.

Em São Bernardo do Campo, por exemplo, quem oferece a facilitação é Ailton Natalino de Lima, assessor do vice-presidente da Câmara, o vereador Toninho Tavares (PSDB).

Num cartão de visita do vereador, ele escreve o nome de um funcionário da UBS Baeta Neves no verso: Hermes Moreira Rocha. Esse é o código para furar a fila.

Ailton: Procura o Hermes, não precisa mostrar o cartão, só mostra pra ele. Fala: Hermes, o Toninho pediu pra falar com você.

Repórter: Eu chego lá na UBS…

Ailton: Fala que você quer falar com Hermes.

Repórter: Falar com o Hermes, que já está sabendo que eu vou procurá-lo. Aí a hora que eu encontrar com ele eu saco o cartão e dou pra ele?

Ailton: Mostra pra ele: ‘o Toninho te ligou, sobre minha mãe? Aí aí ele vai falar, se o Toninho não conseguir falar com ele, aí você já fala com ele’.

Hermes era motorista de ônibus até fazer campanha pra Orlando Morando, prefeito de São Bernardo pelo PSDB. O ex-motorista virou chefe do Núcleo Interno de Regulação e passou a interferir no fluxo de atendimento na UBS. Ele recebe o cartão de visitas do vereador e promete a facilitação.

Repórter: Qual o risco de a gente acontecer de ter que pegar uma fila?

Hermes: Que fila? Fila?

Repórter: De encaminhamento para o [Hospital] Anchieta…

Hermes: Não. Aí eu preciso que esteja todos os exames nas mãos, se tiver todos os exames nas mãos, a doutora mostra pra mim toda essa documentação e diz ‘Hermes, você encaminha ela para um onco[logista]’. Aí coloca ela na fila amanhã e demora uma semana pra sair a data. E quinze dias ela já está…

Repórter: Mas você consegue acelerar isso aí pra gente?

Hermes: Eu quero tudo isso aí primeiro. Fila não vai ter.

Em São Caetano do Sul, os assessores do vereador Edson Parra, do PSB, também vice-presidente da Câmara e base de apoio do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), pedem ajuda em ano eleitoral como recompensa.

Repórter: Tenho medo de ficar preso nessa tal dessa fila de 60, 70 dias.

Assessor: Não vai ficar. Porque vai ser assim: o agradecimento é legal, a recompensa nossa é você dobrar teu joelho e falar assim ‘Deus, ajuda eles lá, que eles vão precisar’. Essa é a nossa recompensa.

Mercedes: Você sabe que ano que vem é ano de eleição a gente precisa ganhar, então você reza pra nós.

Assessor: Essa é a recompensa melhor que se pode ter. Dinheiro gasta-se.

Em Mauá, onde a saúde também é controlada pela Fundação ABC, a promessa vem de assessoras do vereador Sinvaldo Carteiro (PSDC). Também com o cartão de visitas.

Repórter: Mas com a ajuda do vereador vocês acham que a gente consegue facilitar o processo na fila…

Assessora Marcela: A gente tenta agilizar. Entendeu? Porque nós temos um pessoal na saúde que pode estar ajudando.

Assessora Thais: Ele vai acompanhar, ele vai conseguir fazer um acompanhamento.

Repórter: O pessoal na saúde consegue dar uma ajuda?

Assessora Marcela: Dá.

Assessora Thais: Pelo menos tentar o encaixe dela ir pro SUS pra fazer esse acompanhamento aí.

Em Santo André, quem promete ajuda e pede recompensa é Antônia, assessora do vereador André Scarpino, líder na Câmara do PSDB, partido do prefeito Paulo Serra.

“Se você fizer do jeitinho que eu tô falando pra você, dá certo. Então é exatamente isso, por isso que eu falei pra você falar com o André também, conhecer o André, porque eu vou falar com você no futuro, depois que seu pai estiver curado. Porque é exatamente isso. É um precisando do outro”, diz.

Pra operar esse sistema, são mais de 150 apadrinhados ligados a 20 partidos. A lista completa está no site da CBN, assim como as imagens da câmera escondida e o que dizem os envolvidos.

A Fundação ABC diz que 90% dos funcionários são técnicos da área da saúde e que todas as contratações obedecem a critérios técnicos com uso de um banco de currículos e processos seletivos na forma da lei, com dados disponibilizados no Portal da Transparência. Eles dizem ainda que desconhecem as práticas de apadrinhamento político e manipulação da fila da saúde.

A prefeitura de São Bernardo do Campo diz que o contrato com a Fundação respeita a lei e qualquer irregularidade será punida imediatamente, com identificação e punição de eventuais responsáveis por favorecimento. A prefeitura de Santo André também defendeu o afastamento de funcionários que usam o cargo pra beneficiar alguém e que o acesso aos serviços públicos de saúde se dá de forma universal e com equidade, obedecendo avaliações técnicas dos profissionais de saúde. A prefeitura de São Caetano do Sul diz que qualquer irregularidade concreta será investigada e rigorosamente punida, mas que a informatização dos processos no sistema público de saúde diminui o risco de fraudes. A prefeitura de Mauá disse que tomou conhecimento das irregularidades pela imprensa e que a Fundação ABC gerencia mal a rede de Saúde, por isso estão tomando medidas pra substituir a Fundação. 

O vereador Toninho Tavares disse que está no dever de orientar qualquer munícipe para o acesso aos serviços públicos – prova disso é que ninguém conhecia o repórter e mesmo assim o ajudou, nada foi cobrado pela ajuda, nem foi exigido nada em troca. Quanto ao suposto facilitador, diz que se ele realmente furou a fila deve ser investigado e punido. 

O vereador Edison Parra disse que os assessores dele estão orientados para atender todos os munícipes que o procuram e que é função do vereador garantir que eles tenham atendimento. Ele diz que a ajuda seria dentro dos critério técnicos que a Medicina estabelece e que proíbe veementemente os assessores de troca de favores eleitorais.

Os vereadores André Scarpino (PSDB/Santo André) e Sinvaldo Carteiro (PSDC/Mauá) não responderam os questionamentos da CBN. 

++++++++++++++

Veja abaixo o que dizem os envolvidos e/ou citados na série de reportagens da CBN. As notas estão na íntegra.

FUNDAÇÃO DO ABC:
Em resposta aos questionamentos da Rádio CBN, oportunamente a Fundação do ABC informa que acumula mais de 50 anos de experiência e de trabalhos na área da saúde e gestão de serviços públicos. Conta atualmente com cerca de 23 mil funcionários em 12 municípios do Estado de São Paulo. Deste número, aproximadamente 15 mil estão alocados no Grande ABC, sendo 3.500 na cidade de Santo André, 8.000 em São Bernardo do Campo, 1.600 em São Caetano do Sul, além de 1.700 em Mauá. Na condição de maior empregadora do Grande ABC, reforçamos ainda que 90% do quadro de colaboradores da entidade restringe-se às áreas com formação técnica em Saúde, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, dentistas, técnicos e auxiliares de enfermagem, entre outros cargos, servindo diretamente a população. Esclarecemos que as contratações de funcionários na entidade são realizadas sob regime jurídico da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e obedecem a critérios técnicos e em atenção às especificações e predicativos dos cargos, mediante a utilização de um Banco de Currículos e processos seletivos, na forma da lei, disponibilizando os dados no Portal da Transparência. Em relação às supostas irregularidades denunciadas pela reportagem, a Fundação do ABC esclarece que desconhece tais práticas ligadas a possível apadrinhamento político e manipulação das filas de atendimento dos sistemas de saúde nos referidos municípios. A entidade, confirmada as denúncias, apurará com rigor todas as denúncias e possíveis irregularidades. Informamos que a FUABC, desde 2018, procurou voluntariamente o Ministério Público do Estado de São Paulo para firmar um “Protocolo de Intenções”, visando consolidar as boas práticas da sua gestão administrativa e o absoluto respeito aos princípios constitucionais da Administração Pública. Entre as medidas previstas estão o aumento da segurança jurídica institucional e a ampliação dos mecanismos de controle junto às unidades de saúde gerenciadas. Para isso, há um instrumento de compliance em fase final de assinatura. O texto, a ser validado com o Ministério Público, estabelece com clareza as obrigações e os limites de autonomia administrativa das unidades, formalizando a responsabilidade da política de boas práticas. A Fundação do ABC reitera seu compromisso com a prestação de serviços de saúde de qualidade, com humanização do atendimento, resolutividade e zelo na aplicação dos recursos públicos, e reforça que não compactua com os fatos supostamente ocorridos.

PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO:
Em resposta aos questionamentos, a Prefeitura de São Bernardo informa que os contratos com a Fundação ABC respeitam a legislação. Estão disponíveis a todos os órgãos de fiscalização e, caso ocorra, qualquer irregularidade será punida imediatamente. Caso algum apontamento de favorecimento for comprovado para o uso de sistema de Saúde, o responsável será identificado. Se for da Prefeitura, será demitido e punido com rigor da lei. Se for da Fundação, será pedida providências a Instituição. Ressalta -se que a Prefeitura tem os contratos com a Fundação ABC, que empregam 8.000 funcionários na Saúde do município, o que gera atendimento a 800 mil pessoas a cada trimestre.

PREFEITURA DE SANTO ANDRÉ:
Em resposta aos questionamentos da reportagem, gostaríamos de INFORMAR que a contratação de funcionários é uma das atribuições da Fundação do ABC (FUABC), de acordo com os termos do contrato de gestão. É importante esclarecer que, se algum funcionário da FUABC usa o cargo para beneficiar alguém, deve ser afastado imediatamente, da mesma forma que se usa o nome de alguém para burlar o processo de contratação, fazemos questão de apurar e tomar as medidas reparadoras necessárias, caso existam fatos concretos. Está previsto no contrato de gestão que as contratações dos profissionais devem obedecer os critérios e requisitos técnicos das funções. Prova disso é que na cidade de Santo André existem mais de 3 mil trabalhadores da Fundação do ABC e a rotatividade nos dois últimos anos não ultrapassou 700, ou seja, dos 3 mil funcionários cerca de 2.300 trabalham há mais de três anos, independentemente da coloração partidária, idade, sexo, cor ou religião. Asseguramos que o acesso aos serviços públicos de saúde se dá de forma universal e com equidade, obedecendo avaliações técnicas dos profissionais de saúde.

PREFEITURA DE SÃO CAETANO DO SUL:
A Prefeitura de São Caetano do Sul informa que as contratações são efetivadas pela Fundação ABC, que utiliza critérios técnicos para seleção de colaboradores, respeitando a legislação vigente. Qualquer irregularidade concreta que possa ocorrer no processo será investigada e rigorosamente punida, inclusive em relação à possibilidade de ter fraude no acesso ao sistema de saúde, que é totalmente informatizado, fator que reduz ilicitudes, e definido por critérios de urgência estabelecidos por médicos e demais profissionais. A Prefeitura ainda informa que o Portal da Transparência do Município conta com todas as informações referentes ao quadro de colaboradores efetivos, comissionados e terceirizados.

PREFEITURA DE MAUÁ:
A Prefeitura de Mauá esclarece que apenas tomou conhecimento da situação desses cargos e contratações por meio da imprensa, após a deflagração da Operação da Polícia Federal, e reitera que não fez nenhuma indicação ou nomeação de pessoas para a Fundação do ABC (FUABC). A administração municipal entende que há um mal gerenciamento da rede de Saúde e, por isso, está tomando as medidas necessárias para substituir a FUABC. Não há nenhuma compactuação por parte da Prefeitura com sistemas ‘fura fila’. Pelo contrário, o trabalho da administração municipal tem sido para fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), até mesmo porque hoje a cidade atende cerca de 70% da população por meio do SUS, priorizando o acesso à saúde para todos os cidadãos. Reitera-se que a nova gestão está empenhada em mudar todo o gerenciamento da rede municipal de Saúde. Nos próximos dias, Mauá terá uma nova Organização Social (OS) para a gestão do sistema.

VEREADOR TONINHO TAVARES (PSDB/São Bernardo do Campo):
O vereador está no dever de orientar qualquer munícipe para o acesso aos serviços públicos. Prova disso é que ninguém conhecia e mesmo assim o ajudou. Nada foi cobrado pela ajuda, nem foi exigido nada em troca. Como pode alguém ser julgado/acusado por querer ajudar alguém sem pedir absolutamente nada em troca. Quanto ao suposto facilitador, se ele realmente furou a fila deve ser investigado e punido, porque o uso do cargo para favorecimento é ilegal. O vereador sempre buscou ajudar os munícipes independentemente quem seja, sua cor partidária, se é pobre ou rico.

VEREADOR EDISON PARRA (PSB/São Caetano do Sul):
Meus assessores estão orientados para atender todos os munícipes que nos procuram, lembrando que é função do vereador garantir que todos os munícipes tenham atendimento. Quando um cidadão, mesmo dizendo não ser do município, chega apresentando uma questão médica gravíssima de um sobrinho chamado Pedro Paulo Neves, nascido em 03/01/13, ou seja uma criança de 6 anos, necessitando de uma cirurgia cardíaca urgente, é natural que encaminhemos o caso para a direção da saúde da cidade, para atentarem à gravidade e devida priorização do atendimento, dentro dos critério técnicos que a Medicina estabelece (condenável seria negligenciar a situação da criança). O fictício “tio”, que se identificou como Luca, insinuou várias vezes a intenção dele “tio” na troca de favor eleitoral, prova disso foi a insistência dele dizendo que lá em Franca, onde mora, é usual e praticado por ele. Essa atitude eu proíbo veementemente que meus assessores pratiquem. Com relação às funcionárias da Fundação ABC citadas, ambas possuem cursos superiores e qualificação apropriadas às funções que exercem.

VEREADOR AURÉLIO BACELAR (PTB/São Bernardo do Campo):
Os fatos questionados, não são do meu conhecimento. Detalhando que há compromisso, por ajudar moradores de forma indiscriminada, em acesso aos serviços públicos, mas sem desrespeitar o princípio da legalidade.

VEREADOR ELIEZER MENDES DA SILVA (Podemos/São Bernardo do Campo):
Desconheço todo e qualquer esquema fraudulento e ilícito na Saúde de São Bernardo do Campo. A Administração Municipal trabalha incansavelmente para diminuir o abismo social que existe em nosso município. É natural que existem muitos descontentes e o nosso trabalho é para compreender e contemporizar os anseios de todos os munícipes, que merecem um sistema de saúde eficaz, humano e de extrema qualidade. Não tenho conhecimento de “fraude na fila da Saúde” em nosso município. E, de antemão reafirmo que o nosso gabinete não trabalha para facilitar ou favorecer munícipes na fila da Saúde. Trabalhamos para fiscalizar o serviço que está sendo oferecido para a população pela administração municipal, com objetivo de diminuir as diferenças e tornar o acesso à saúde mais inclusivo. A Ariane Brene Mendes (minha esposa) é vítima de um ataque político cruel e sem precedentes. A Ariane é funcionária da FUABC, desde (2015) – período que o Vereador Eliezer Mendes, sequer era vereador do município de São Bernardo. Ela disputou a vaga no processo seletivo na época divulgado pela “Catho”, com mais de vinte candidatos. Atualmente ela ocupa o cargo de “Coordenadora Técnica de Segurança do Trabalho” – as atribuições da funcionária não tem nenhuma relação administrativa ou de controle de filas da Saúde. Não tenho essa prerrogativa e a FUABC tem autonomia para contratar os melhores quadros que atendam os requisitos técnicos e funcionais para ocupar os cargos da empresa. Claro que não. É desumano ser adepto dessa prática horrenda, que alimenta a esperança de quem está burlando a fila e aniquila as chances de cura e tratamento do munícipe que está aguardando na fila para consultas ou exames. Não. Acho que os cargos precisam ser ocupados por pessoas com capacidade técnica e desempenhe a função que se espera do cargo, com responsabilidade e seriedade, sobretudo com princípios éticos e morais. Mas, como disse anteriormente não tenho ingerência na FUABC, não exerço nenhuma influência na admissão de funcionários da entidade.

VEREADOR JUAREZ TUDO AZUL (PSDB/São Bernardo do Campo):
Este Vereador se manifesta a CBN, por meio desta nota, esclarecendo que não se utiliza de prática ilegal em seu mandato para qualquer que seja a situação

VEREADOR MAURÍCIO FERNANDES (DEM/São Caetano do Sul):
Em relação ao e-mail recebido, afirmo que meu filho Daniel tem graduação em nível superior e desenvolve funções e atribuições em seu trabalho exclusivamente de acordo com as suas qualificações.
A respeito das demais perguntas, desconheço.

VEREADOR PERY CARTOLA (PSDB/São Bernardo do Campo):
Muito me estranha os questionamentos acima, tenho um conduta e trabalho bacana na cidade voltado sempre a proteção animal.
Mesmo assim atendo a todos com o maior carinho e respeito, sem desrespeitar o príncipio da legalidade e bons costumes. 

VEREADOR IVAN FELICIANO SILVA (SD/São Bernardo do Campo):
O vereador tem conhecimento do esquema? Não tenho conhecimento, desconheço. Os indicados pelo vereador na Fundação ABC ajudam a fraudar a fila do sistema? Não tenho nenhum indicado na Fundação, e sou contra esse tipo de procedimento Por que o vereador indicou pessoas com ligação a ele para atuar na Fundação? Não indiquei ninguém, recebo muitos currículos no meu gabinete e sempre encaminho os mesmos para diversas empresas e agencias de emprego. O vereador compactua com o sistema de furar fila no SUS? Não compactuo com esse procedimento O vereador compactua com o aparelhamento da Fundação ABC? Não compactuo, e desconheço

VEREADOR PIO MIELO (MDB/São Caetano do Sul):
Em relação aos fatos do e-mail, informo que:
– Caroline Ive Sena Manfrin Mielo não integra os quadros da FUABC.
– Veronica Maria Sena Manfrim possui condições técnicas para exercer a função que desempenha. É graduada em Educação Física e Nutrição e Pós-Graduada em Educação Física. Contratada como educadora física, função estritamente ligada à sua formação acadêmica.
Não tenho conhecimento dos demais questionamentos.

VEREADOR RAFAEL DEMARCHI (PRB/São Bernardo do Campo):
Primeiramente gostaria de dizer que ficamos felizes por saber que existe uma matéria sendo realizada nessa área. Saúde é um dos pontos mais sensíveis na nossa região e todo tipo de fiscalização nesse sentido é bem-vinda. Quanto aos seus questionamentos enviaremos abaixo as respostas dos pontos apresentados e em seguida um breve resumo sobre nossa atuação política nesse mandato para trazer mais clareza sobre a situação. É importante salientar que a base de sustentação do governo Orlando Morando conta e sempre contou com 18 vereadores, da qual nunca fiz parte! Desde o início do mandato tenho uma postura independente. Ao realizar uma análise simples do nosso histórico de votações, ou até mesmo nossa linha do tempo no Facebook vocês poderão comprovar nossa postura. Temos o entendimento que devemos apoiar aquilo que é benéfico para o município e ir contra o que acreditamos ser prejudicial. E não só não faço parte da base, como fui o primeiro vereador nesse mandato, a denunciar no Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual, indícios de desvios na Saúde de São Bernardo do Campo na atual gestão, que ainda estão sendo investigadas, para termos uma definição! Segue anexo protocolo do processo. Não faço parte de nenhum “esquema” de fraudes de fila ou coisas do tipo, se não, não investigaria a Fundação e a Saúde da cidade, e não seria co-autor da CPI da Saúde! Pelo contrário, seria contra a CPI. Não temos nenhuma pessoa indicada trabalhando em qualquer órgão ligado direta ou indiretamente a administração municipal de São Bernardo do Campo. Não temos nenhuma pessoa indicada trabalhando em qualquer órgão ligado direta ou indiretamente a administração municipal de São Bernardo do Campo. Com relação aos nomes citados, ambos não foram em nenhum momento fruto de nossa indicação. Mas com relação a eles segue uma breve posição: Vinicius Demarchi é irmão do vereador, porém o seu vínculo com a Fundação não possuiu nenhuma relação com nosso mandato. Ele trabalhava na Fundação do ABC na parte administrativa central(Mantenedora), e não nas pontas (Mantidas), hospitais, UPA’s, UBS’s e todos os outros serviços de saúde da região do ABC e Estado de São Paulo; são nessas Mantidas onde possivelmente estão os cargos comissionados dos agregados políticos do prefeito na própria cidade! É importante entendermosque a Fundação do ABC não é uma empresa publica, tem seu direito privado mas a maior parte dos recursos são públicos e deveriam ser geridos de forma independente dos municípios que são sócios da Fundação. A Fundação tem mais de 21 mil funcionários porém sem o esperado controle financeiro e organizacional que se espera de uma empresa deste porte! O Vinicius atuava em um cargo técnico na mantenedora, responsável pela reformulação do escritório de qualidade e estava a frente do planejamento estratégico respondendo diretamente a diretoria administrativa e presidência da empresa. Fico triste por ele ter pago o preço pelas minhas decisões políticas, já que por minhas votações e como Co-autor da CPI da Saúde que elaboramos no dia 17 de Junho de 2019 (data anterior a demissão do mesmo), o atual prefeito através do presidente indicado por ele ao cargo, demitiu o Vinicius de uma cargo estritamente técnico. O vereador compactua com o sistema de furar fila no SUS? Não. Inclusive somos o autor da denúncia protocolada no Ministério Público Federal e MP Estadual em 2017 (segue anexo protocolo das denuncias) para abertura de investigações relacionadas a área de saúde na cidade, onde levantamos a atual administração de São Bernardo paga 2.180 horas semanais de saúde especialidade na Policlínica Centro, mas que na verdade são realizadas apenas 958,85 horas semanais! O vereador compactua com o aparelhamento da Fundação ABC? Não. E também relacionado ao tema, depois de muita articulação conseguimos recentemente as assinaturas necessárias para protocolar a instauração de uma CPI da Saúde na nossa cidade (segue anexo protocolo das denuncias) justamente para conseguirmos abrir em enfim a Caixa Preta da Saúdede SBC e olharmos para onde está indo os quase R$ 1 Bilhões anuais “investidos” nessa área. E infelizmente, não foi aprovada na sessão de ontem, por conta de uma manobra regimental na casa,organizada pelo atual prefeito e a base de sustentação, onde mudaram o regimento colocando que só podem tramitar 2 CPI´s por vez na casa, e estranhamente mudaram o regimento e protocolaram duas CPI´s sem “pé nem cabeça”, sem sentido nenhum e que não traz benefício nenhum para população, só para não conseguirmos dar andamento na nossa! Em todo caso, estamos movendo um Mandado de Segurança para provar que nossa CPI esta protocolada com data retroativa as demais e tentar em viais judiciais emplacar a mesma. No caso da abstenção da votação em questão que originou esse assunto, vale ressaltar que o Tribunal de Contas do Estado votou pela aprovação das contas do ex-prefeito, e que diante da manifestação dos meus pares em reprová-la, acredito que necessitávamos de um aprofundamento maior no assunto, junto ao TCE inclusive, que possui o respaldo técnico para aceitar ou refutar as matérias apresentadas e assim caminharmos para uma decisão clara com relação as contas. Mas como o caminho escolhido foi esse, entendemos que não havia elementos suficientes para uma votação convicta para nenhum dos lados. Fico a disposição de vocês para maiores esclarecimentos e aprofundamentos em relação a SaúdePública do Município de São Bernardo do Campo. Também me coloco a disposição para falarmos sobre possíveis fraudes na Saúde, juntamente com vereador Julinho Fuzari, o autor da CPI da Saúde de São Bernardo do Campo.

VEREADOR MARCEL MUNHOZ 
A funcionária citada não integra o quadro da Fundação ABC. Entretanto, vale ressaltar que a pessoa citada é totalmente capacitada para o cargo de Diretora Administrativa, sendo pós-graduada em Infectologia, bem como tendo vasta experiência por conta de atuação em diversas repartições e instituições relacionadas à pasta da saúde. Não tenho conhecimento acerca dos demais questionamentos.

DIRETÓRIO ESTADUAL DO PSDB:
Os questionamentos enviados pela CBN devem ser direcionados à Fundação ABC, entidade de direito privado responsável pelas contratações citadas e aos referidos contratados. Quanto ao pedido dos contatos dos citados no e-mail, o PSDB esclarece que não tem permissão nem meios de encaminhar os contatos particulares de seus filiados a terceiros. Os pedidos de esclarecimentos dos citados devem ser feitos individualmente a eles.

DIRETÓRIO ESTADUAL DO PTD:
Prezados. O Partido desconhece esse assunto. 

DIRETÓRIO ESTADUAL DO PHS:
Iremos solicitar as informações às respectivas executivas municipais para que, em caso de eventuais atos ilícitos praticados por filiados que sejam constatados, sejam tomadas as medidas cabíveis nos respectivos conselhos de ética municipais, ressaltando que a Executiva Estadual apoia toda e qualquer apuração que vise trazer transparência a gestão publica, em qualquer nível ou instância de Poder.

DIRETÓRIO ESTADUAL DA REDE SUSTENTABILIDADE:
O Diretório Estadual da Rede Sustentabilidade vem informar que a pessoa citada pela CBN de fato foi filiada e candidata à rede nas eleições de 2016, pedindo desfiliação em 2017, e hoje se encontra filiada a outro partido. A Rede desconhece quaisquer atos individuais por ela realizados e/ou praticados. A Rede no momento não tem um diretório municipal organizado em São Bernando do Campo e é um partido conhecido pelo combate à corrupção, buscando diariamente a sedimentação dos mais nobres princípios da Administração Pública a nível federal, estadual e municipal.