Barracas devem manter distância mínima umas das outras e fica proibido o consumo de bebidas e comidas no local

Cada região de São Paulo é abastecida por alimentos frescos e de qualidade para a população em diversas feiras livres, mercados e sacolões municipais. Todavia, para a proteção e segurança de todos, a Prefeitura, por meio do Departamento de Abastecimento (ABAST), tomou novas medidas para barrar o avanço do covid-19 na cidade pelos próximos 15 dias.

Desde hoje (terça-feira, 24), está determinada a distância mínima de um metro quadrado entre as barracas nas feiras livres e fica proibido o consumo de bebidas e comidas no local. É recomendado também que os alimentos estejam embalados antes de serem expostos nas bancas. Os horários de funcionamento não sofreram alterações: terça-feira a domingo, das 7h30 às 13h.

Os centros de abastecimento, mercados e sacolões municipais também sofreram alterações em suas operações. A partir de agora, eles passam a operar com um horário mínimo de funcionamento: de terça a sábado, das 8h às 16h.  Domingo e segunda-feira são pontos facultativos. As exceções são o Mercado Kinjo Yamato, que vai funcionar de terça a sábado, das 03h às 13h, e o Sacolão João Moura, que ficará aberto de segunda a sábado, das 07h às 13h. 

Outras medidas já estavam acontecendo nestes equipamentos, como a proibição da degustação de alimentos, suspensão da oferta de mesas e cadeiras ao público, disponibilização de instrumentos e produtos para higienização das mãos (álcool em gel e pias com sabão) nos boxes, entradas e saídas e a limpeza do local todos os dias, ao final do expediente.

Todas as medidas adotadas foram pensadas para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus na cidade de São Paulo. A portaria é de número 03/2020, mas para acessá-la é só clicar no link a seguir: http://www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/NavegaEdicao.aspx?ClipID=3fdb42ee07c18d16fef9d3a7232dfdc5&PalavraChave=abastecimento