Aconteceu nesta terça-feira (15) a 1ª audiência para que os cidadãos ofereçam sugestões de projetos

Aconteceu nesta terça-feira (15), no auditório do Edifício Martinelli, no Centro de São Paulo, a 1ª audiência pública para que a população possa participar do debate sobre a concessão dos serviços funerários municipais à iniciativa privada.

A Prefeitura de São Paulo tem o projeto de conceder os 22 cemitérios e crematórios da cidade. A expectativa é de que as empresas assumam a gestão desses equipamentos por 35 anos e invistam R$ 2 bilhões. Os interessados em contribuir com as discussões têm até o dia 1º de novembro para enviar sugestões.

Falta de zeladoria

Os cemitérios da capital vêm sendo alvo de furtos. As pessoas também reclamam da falta de zeladoria.

“O mato é alto e tem lixo. Se você andar pelos corredores, eles estão todos ondulados. Eles foram cavando para tirar os túmulos e ficaram os buracos. Você caminha de um túmulo para outro e ficam os degraus”, conta a secretária Marileide Moraes, falando sobre as condições do cemitério da Vila Formosa, na Zona Leste

Já para a dona de casa Maria de Paula Moraes que perdeu o marido há cinco meses, a zeladoria dos túmulos é o grande problema do local. “A gente vem, tenta cortar um pouco da grama que está em cima do túmulo. Mesmo pagando os R$ 50, eles não deixam em ordem. Deixam nos primeiros meses, depois o mato cresce. Eles dão o carnezinho para pagar todo mês, mas não conservam”.

Em nota, a Prefeitura informou que o valor pago de R$ 50 é para um prestador de serviço terceirizado e não para a Prefeitura. A nota ainda esclarece que a manutenção dos túmulos é de responsabilidade dos proprietários.

Sobre os problemas de zeladoria nas áreas comuns, a Prefeitura disse que vai implantar asfalto definitivo nas vias do cemitério e que a limpeza é feita diariamente. A Prefeitura disse que as contribuições feitas pela população nas audiências públicas serão analisadas e podem ser incorporadas ao edital de concessão.

Falta de segurança

O Cemitério da Consolação, na região central da cidade, é um dos principais alvos de furtos. No dia 2 de outubro, dois homens foram presos em flagrante após furtarem duas estátuas de bronze, cada uma com mais de 100kg.

No dia 30 de setembro, outra dupla foi presa em flagrante por furtar nove placas de bronze no mesmo cemitério.