Investimento de R$1,5 bilhão resulta em aumento das ações preventivas para o período de chuvas na capital

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB), aumentou o orçamento de R$500 milhões para R$1,5 bilhão para intervenções de zeladoria na capital em 2019.

O incremento do número de agentes de limpeza urbana e equipamentos possibilitou maior volume e eficiência dos serviços realizados para a prevenção contra enchentes e alagamentos. As ações em córregos e galerias foram intensificadas como parte do Plano Chuvas de Verão, que visa reduzir as áreas de alagamento na cidade, entre os meses de dezembro a março.

Foram contratadas mais 39 equipes de limpeza de córregos. No ano anterior, 31 equipes trabalhavam na manutenção e conservação dos espaços públicos. Em 2019, totalizam 70, o que representa aumento de 126% em relação a 2018.

Também se verificou, neste ano, maior abrangência da área total de margens limpas, que passaram de 2.757.722 m² para 5.908.111m², aumento de 114% em relação ao período de janeiro a outubro de 2018. O volume de resíduos retirados dos leitos de córregos foi ampliado de 30.670 toneladas para 71.032 toneladas, com elevação de 131%.

Os serviços realizados pelas equipes mobilizadas para a limpeza dos 228 córregos existentes na cidade de São Paulo compreendem o corte de mato das margens, limpeza de resíduos e entulho descartados de forma irregular, além do recolhimento manual e por máquinas de detritos no leito.

Trabalhos de limpeza em bocas de lobo, bocas de leão, poços de visita e galerias foram intensificadas com maior número de equipamentos, de 39 para 47 unidades, e volume de detritos retirados, de 6.499 m³ para 9.417 m³, o que representa expansão de 45%.

As subprefeituras também realizam a manutenção de 23 piscinões e 12 polders na capital, com volume 23% maior de resíduos recolhidos em relação ao ano anterior, de 138.509 toneladas para 171.717 toneladas neste ano.

Munícipes têm participação importante na prevenção ao descartarem de forma correta o lixo domiciliar e o entulho.

Por dia, a cidade de São Paulo descarta 12 mil toneladas de resíduo domiciliar, cerca de 360 mil toneladas por mês. Em 2018 o serviço de coleta domiciliar comum recolheu aproximadamente 3 milhões de resíduos. Já no primeiro semestre deste ano, foram coletados cerca de 1 milhão de resíduos comuns.

Os sacos de lixo devem ser colocados nas calçadas o mais próximo possível do horário da passagem do caminhão coletor, evitando que os resíduos ensacados fiquem expostos por muito tempo com perigo de serem rasgados. Para coleta domiciliar diurna, os materiais devem ser dispostos nas vias públicas em até duas horas antes do horário da coleta e para coleta domiciliar noturna, os sacos devem ser dispostos somente após as 18h.

A Prefeitura disponibiliza 102 Ecopontos nas regiões Norte, Sul, Leste e Oeste para a entrega voluntária de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, poda de árvores etc.) e resíduos recicláveis. Nos espaços, o munícipe pode dispor materiais gratuitamente em caçambas distintas para cada tipo de resíduo.

O descarte irregular de entulho em vias, córregos e espaços públicos configura crime ambiental, com multa no valor de R$819,81 (abaixo de 50kg), até R$16.003,53 (acima de 50kg), de acordo com o artigo 160 e artigo 161 da Lei 13.478/02.

Plano Chuvas de Verão

Lançado pela Prefeitura em 14 de novembro, o Plano Chuvas de Verão prevê obras estruturais realizadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras (SIURB), com o funcionamento de cinco novos piscinões nas zonas Norte, Sul e Oeste até o final do ano, assim como ações preventivas e emergenciais executadas pela Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB), autarquia vinculada à Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB).

Os serviços incluem intensificação da coleta domiciliar, limpeza de bueiros, túneis e ramais durante o período de chuvas, a fim de evitar pontos de alagamento nas cerca de 210 bacias da cidade,

Para tanto, foram mapeados junto às concessionárias de coleta domiciliar e limpeza urbana, CET e CGE, 927 pontos com risco de enchentes para a execução de ações preventivas e corretivas.

Ações preventivas:

  • Coleta adicional dos resíduos sólidos domiciliares
  • Antecipação do recolhimento dos resíduos de varrição, de pontos críticos e viciados
  • Intensificação da limpeza de bueiros e bocas de lobo – retirada dos resíduos como embalagens, garrafas pet, além de vegetação, terra, lama, areia e etc.

Ações corretivas:

  • Plantão de emergência, limpeza geral das áreas das enchentes,
  • Raspagem de vias e logradouros públicos, coleta de materiais diversos, lavagem das vias e logradouros públicos, limpeza de bueiros e bocas de lobo serão intensificados.

Todos os serviços de zeladoria podem ser solicitados pelo canal oficial da Prefeitura, o SP156, por telefone, portal ou aplicativo.

Orçamento para intervenções de zeladoria em 2020

prefeito Bruno Covas anunciou, no dia 1º de outubro, que os recursos para zeladoria na cidade em 2020 serão o dobro do investido este ano, passando de R$ 1,5 bilhão para R$ 3 bilhões, conforme previsto no Projeto de Lei Orçamentária Anual para o exercício 2020 (PLOA 2020).

Na ocasião, o prefeito explicou a redução no estoque de demandas verificadas nas Subprefeituras. Hoje, as administrações regionais conseguem responder às solicitações de zeladoria com maior eficiência. Planejamento a médio e longo prazo propiciaram, ainda, que, junto à participação local dos munícipes, houvesse o aumento no orçamento direcionado à zeladoria para 2019 e 2020, com consequentes melhorias na realização dos serviços das equipes das Subprefeituras.