Buscando novas maneiras de solucionar o déficit habitacional da cidade, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Companhia Metropolitana de Habitação (COHAB) , lançou a primeira parceria Público-Privada municipal da habitação.

O presidente da companhia COHAB-SP, Alex Peixe, concedeu uma entrevista coletiva na sede da Prefeitura de São Paulo à diversos veículos de comunicação de várias regiões periféricas da cidade. Um dos pontos abordados, foi a primeira parceria Público-Privada que viabilizará a construção de mais de 34 mil moradias na capital. Em maio de 2019, foi iniciada a primeira etapa do programa, viabilizando a implantação de 13.180 unidades na cidade em até seis anos, com investimento incial de 2,2 bilhões pelas empresas vencedoras da licitação.

Outro ponto de muita importância abordado na da coletiva, foi a parceria entre Cohab e Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) que tem como objetivo permitir que mutuários coloquem em dia as parcelas pendente de suas unidades. Famílias com 3 ou mais parcelas em atraso, recebem a convocação da Companhia, com o timbre da justiça, para comparecerem aos locais dos eventos, onde mediadores treinados pelo Cejusc e um funcionário da Companhia efetuarão as conciliações. Na reunião são apresentadas ofertas para o mutuário escolher a que melhor respeite o orçamento de sua família. Se a negociação for concretizada, o contrato segue para o juiz presente homologar no ato, validando o novo acordo.

Continua após o anúncio...

Outro problema comum que a COHAB vem combatendo há anos, é a venda de apartamentos através do contrato de gaveta. Com o aumento de casos fraudulentos relacionados à venda irregular de unidades habitacionais da Cohab em sites na internet, imobiliárias e corretoras, no início de 2019 foi iniciado o programa “Não seja enganado”, como forma de conscientização e alerta á população sobre a maneira correta para aquisição de uma residência.