José Alves Galdino da Silva mais conhecido como Álvaro Evangelista tinha 38 anos, deixa 2 filhos e residia em Cidade Tiradentes região do Sitio Conceição.

Álvaro trabalhava pela empresa centurium que prestava serviços no Hospital Municipal Dr Benedicto Montenegro no Jardim Iva, lá neste hospital uma paciente que estava com suspeita e, em isolamento pelo COVID-19, e, que está paciente tentou fugir e o Sr Álvaro a segurou após receber informação pelo rádio, pois era segurança do hospital neste dia e até orientou a moça que tentou fugir sobre o risco que ela poderia colocar a população.

Após este caso ele começou a sentir os sintomas e a passar mal, onde começou a ir até o Pronto Socorro no Hospital Itaquera (particular) onde foi atendido no dia 15/03 pelo Dr Hugo Tadeu onde o Sr Álvaro relatou todos os sintomas ao médico e mesmo assim o médico apenas o medicou e mandou de volta para casa. Na mesma semana o Sr Álvaro voltava ao PS do hospital e era atendido pelo mesmo médico e que acabou solicitando exames para dengue e descartando o exame para coronavírus mesmo o paciente relatando o caso e o Dr apenas pediu para o paciente ficar isolado em casa por 15 dias.

Quando chegou na madrugada de sábado, sua esposa viu que pioro e achou melhor levar ao hospital, e, chegando lá não era mais o Dr Hugo, o doutor que estava no plantão pediu a intenção ao hospital Portinari que fica em Osasco. Chegando lá o médico que atendeu disse que o caso já era grave, levando para UTI dando entrada no sábado 21/03 ficando dois dias internado e vindo a falecer dia 23/03 as 10h.

Foram realizados exames médicos de tomografia onde foi visto claramente a ação do covid-19 junto a H1N1 e os exames serão encaminhados ao ministério da saúde. A família não poderá velar o corpo para dar o seu último adeus.

Suspeita de ter sido contaminado no Hospital onde trabalhava
Hospital por onde passou por diversas consultas em Itaquera

As informações aqui postadas foram autorizadas e passadas pela família.
Fonte: Sérgio – Página CT