Aluno de 14 anos atacou professor no CEU Aricanduva. Vítima foi operada e está em estado grave.

O professor Luiz Marcos Notário, de 56 anos, foi operado na tarde desta quinta-feira (19) no Hospital da Vila Alpina, na Zona Leste de São PauloNotário foi esfaqueado por um aluno de 14 anos no CEU Aricanduva, escola da rede municipal, pela manhã. O estado dele é grave.

Segundo o filho do professor, Notário nunca teve problemas com os estudantes. Ele dá aulas há 25 anos, e há 12 está no CEU Aricanduva. “Meu pai gosta muito de dar aulas. Ele trabalha há bastante tempo como professor e é muito brincalhão na sala de aula e nas horas vagas. Todos os alunos gostam dele.”

O filho ficou surpreso com a notícias do ataque. “Foi uma surpresa muito grande”, disse Luis Felipe Notário, filho do professor. “Todo mundo está assustado. A gente acha que isso não está acontecendo, mas realmente está.”

A polícia passou o dia na escola fazendo a perícia. O celular do adolescente foi apreendido. Segundo a polícia, o estudante enviou uma mensagem para a mãe antes de esfaquear o professor dizendo que seria a última vez que ela iria falar com ele. Em seguida, ele atacou Luiz Marcos. Pouco depois, o aluno também ficou ferido. Segundo a polícia, ele tentou o suicídio.

O aluno foi levado pelo helicóptero Águia para o Hospital das Clínicas, na Região Central de São Paulo. O estado dele é estável.

Policiais no CEU Aricanduva — Foto: Reprodução/TV Globo

“O menino estava assistindo aula numa sala, e pediu pra sair da sala”, disse o delegado Hélio Bressan, que investiga o caso. “Ele saiu dessa sala, entrou na outra sala onde acabou esfaqueando esse professor. Voltou pra outra sala onde o outro professor acabou dominando-o e tirando a faca dele. Ele se golpeou, essa é nossa informação.”

De acordo com a polícia, o estudante foi para a escola com uma faca de 20 centímetros que pegou em casa.

O CEU Aricanduva tem 1.400 alunos divididos no ensino fundamental, ensino médio e na creche. Uma equipe de psicólogos e assistentes sociais foi para a escola para dar apoio a professores, pais e alunos.

Segundo o secretário municipal de educação, o comportamento do adolescente não indicava inclinação para violência.

“Esse aluno teve um comportamento normal nas duas aulas de educação física que aconteceu de hoje”, afirmou.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) , disse que a rede municipal de ensino tenta prevenir casos de agressão nas escolas.

CEU Aricanduva, na Zona Leste de SP — Foto: Reprodução/TV Globo

“Não tem como não se comover num momento como esse para que a gente possa, se for o caso, aprender com erros, corrigi isso lá na frente e preveni ainda mais que isso volte a acontecer em escolas municipais.”

Entre 2018 e 2019, até fevereiro, foram registrados 2.741 boletins de ocorrência de crimes em escolas – dois deles se referem a tentativas de homicídios.

Desde 2014 houve pelo menos sete episódios registrados de tentativa de homicídio em escolas – 5 em SP, 1 em Santo André e 1 em Guarulhos.

Os crimes mais comuns em escola são furto (615), furto qualificado (384), ameaça (227) e lesão corporal (181).

As aulas no CEU Aricanduva estão suspensas até segunda-feira.