Iniciativa lançada em 2018 busca a interrupção do ciclo de violência por meio da autonomia financeira

Desde que o programa Tem Saída foi criado, em agosto de 2018, mais de 200 mulheres em situação de violência doméstica e familiar conquistaram uma vaga de emprego. O programa, que é realizado pela Prefeitura de São Paulo em parceria com Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, OAB-SP e ONU Mulheres, busca a interrupção do ciclo de violência por meio da autonomia financeira da mulher.

Mais de 650 mulheres compareceram ao Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo, administrado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, com o ofício emitido pelo sistema judiciário em busca de uma entrevista de emprego em uma das 32 empresas parcerias do programa.

“Os esforços entre as áreas pública e privada tem promovido a transformação de vidas. A possibilidade de ter sua própria renda e decidir o que fazer com ela, empodera essas mulheres. Muitas delas estiveram por muito tempo sem alternativa, sob o domínio de seus companheiros e por vezes sofrendo agressões físicas ou psicológicas”, salienta a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Maria do Socorro da Silva Pereira, 48 anos, é uma das mulheres beneficiadas pelo Programa Tem Saída. Depois de formalizar um boletim de ocorrência contra o ex-marido, que chegou a colocá-la na rua com uma de suas três filhas, veio a conhecer o Programa Tem Saída em um atendimento na Defensoria Pública da capital. “Não tive dúvidas de buscar essa oportunidade. Em 2019 pude integrar a equipe que trabalhou na São Paulo Fashion Week, algo inimaginável para mim. Agora estou em um emprego no Carrefour. Passei pelo período de experiência e estou conseguindo tocar a vida junto às minhas filhas”, relata.

Além das 32 empresas parcerias do Tem Saída, a Prefeitura de São Paulo integra também a ação, por meio do Programa de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos, administrado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico. As mulheres do Tem Saída recebem uma bolsa-auxílio no valor de R$ 1.097,25 para atuar em feiras livres da capital orientando os feirantes sobre o descarte de alimentos que estão em condições de consumo e que seriam descartados por não estarem adequados para a comercialização. Frutas, legumes e hortaliças doados pelos comerciantes são destinados para cerca de 200 entidades cadastradas no Banco de Alimentos do munícipio. A ação foi reconhecida pela ISWA – Associação Mundial de Resíduos Sólidos, como uma das melhores práticas mundiais de prevenção a resíduos urbanos, atrelada aos direitos humanos.

Como participar do Tem Saída

A vítima em situação de violência doméstica e familiarserá atendida pelo Programa Tem Saída a partir do momento em que ingressa com uma denúncia contra o agressor no Ministério Público, Defensoria Pública ou Tribunal de Justiça.

Após passar pelo sistema judiciário, a mulher é encaminhada ao Cate, equipamento de seleção de emprego da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. As candidatas passam por processo seletivo diferenciado, com apoio da equipe técnica do Cate e das áreas de recursos humanos das empresas parceiras.

Outras etapas do programa andam em paralelo como a ampliação da rede de apoio à mulher para oferecer o maior número de serviços de acolhimento. O respaldo tem vindo de ações junto à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e no apoio de Delegacias da Defesa da Mulher.

Fonte: Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho