Médico é processado após dizer que enfermeiras precisam de xerecard. A fala do médico contra as enfermeiras fez com que o Cofen solicitasse a abertura de um processo ético disciplinar.

Kayke Paiva, um médico do Maranhão, fez uma postagem em suas redes sociais na última segunda-feira (26) que gerou uma repercussão negativa.

O médico fez um vídeo em seu Instagram dizendo que “ou tu faz enfermagem, ou usa o ‘xerecard’, ou então tu faz medicina”.

No entanto, ele ainda deixou a entender que prostituição é mais rentável que a profissão e desrespeito a classe de enfermagem.

De acordo com uma entrevista ao portal UOL, o médico disse que foi questionado sobre sua namorada e ele quis falar sobre a realidade da profissão que é desvalorizada.

“Sou uma pessoa que brinca muito sobre a coisa de ser pobre. Eu já andei de ônibus, era pobre. Em nenhum momento desrespeitei a profissão da enfermagem.

“Acredito que, sem ela, não há saúde, pois um hospital não funciona sem os enfermeiros. Quando mencionei o termo ‘xerecard’, quis dizer que talvez vender o corpo seja uma boa ideia para ganhar dinheiro, já que a enfermagem está tão desvalorizada”, disse.

Mesmo diante de suas explicações, o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) teve acesso ao conteúdo.

De acordo com o Conselho Regional de Medicina sobre um processo ético disciplinar contra Kayke Paiva, cível e penal.

“Os insultos proferidos por Kayke Paiva em seus stories são um desrespeito a 2,2 milhões de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, que estão 24h ao lado dos pacientes e dedicam suas vidas à saúde da população, em um momento de pandemia global.”

“Revelam, ainda, desconhecimento sobre a complexidade do trabalho multiprofissional em saúde e desprezo pela integridade do ser humano”, comentou o Cofen em nota oficial ao UOL.

*Com colaboração de conteúdo de Metro Jornal

Visite nossa página Acontece Agora no Facebook e faça parte da nossa comunidade.

Conheça a Página Inicial do Nosso Site para conhecer as notícias do dia!