Ponte das Bandeiras e Cruzeiro do Sul, na zona norte, e as pontes do Tatuapé e de acesso à Dutra pela pista local da marginal Tietê estão na lista

Um relatório da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras da Prefeitura de São Paulo, obtido com exclusividade pelo R7, afirma que ao menos quatro outras pontes na cidade de São Paulo estão em “estado crítico, com risco tangível de colapso estrutural”.

A ponte das Bandeiras e a Cruzeiro do Sul, duas das principais vias de interligação entre o centro e a zona norte de São Paulo, a ponte de acesso da rodovia Presidente Dutra pela pista central da marginal Tietê, e a ponte do Tatuapé, as duas últimas na zona leste, receberam classificações que apontam necessidade de “intervenções imediatas” para evitar um colapso.

Neste documento, estão outras estruturas com a mesma classificação e que já foram alvo de obras emergenciais realizadas pela Prefeitura, como a ponte da Casa Verde, na zona norte, a ponte de acesso da rodovia Presidente Dutra pelo acesso da pista expressa da marginal Tietê, e a recém interditada ponte Jânio Quadros, conhecida como ponte da Vila Maria.

O documento é assinado por diretores, engenheiros e superintendentes da SP Obras, empresa pública responsável pelo planejamento e execução de obras na cidade de São Paulo.

imagem: reprodução

As pontes que ainda não receberam obras até agora estão sendo alvo de uma vistoria mais aprofundada dos problemas, para que fossem priorizadas as obras de manutenção, conforme recomendado no relatório ao que a reportagem teve acesso.

Entre essas estruturas, chama atenção a ponte da Dutra pelo acesso a pista central da marginal Tietê, que foi utilizada por cinco meses absorvendo boa parte do trânsito de veículos como alternativa ao acesso da ponte da Dutra pela pista expressa, interditada no final de janeiro para receber obras estruturais por risco de colapso.

Além da urgência nas obras, questões como mudanças no fluxo de veículos e o impacto deles no sistema viário estão sendo analisados pela Prefeitura.

Neste ponto, o pior cenário será a necessidade de interdição da ponte das Bandeiras, uma das principais vias no escoamento de veículos entre o centro e a zona norte da capital. Boa parte dos danos na ponte, foram do impacto de caminhões acima do limite de altura.

Na zona leste, o maior impacto é a ponte do Tatuapé, onde uma interdição para obras vai complicar ainda mais o já complexo trânsito que vem da rodovia Presidente Dutra para a Salim Farah Maluf.

A ponte das bandeiras tem concreto rachado e vigas expostas
imagem: Ponte da Bandeiras/Edu Garcia/R&

Procurada pelo R7, a Secretaria de Infraestrutura e Obras confirmou que “as inspeções visuais, de responsabilidade dos engenheiros da SPObras, apontaram 18 OAEs (Obras de Arte Especiais- nome técnico para pontes e viadutos) como as que mereciam maior atenção por parte do Município” e que “as notas atribuídas às OAEs determinam se as inspeções técnicas devem ser realizadas imediatamente ou com urgência”.

Em específico sobre a ponte das Bandeiras, a pasta afirmou que ela “já passou pelo laudo estrutural. O relatório está em fase de análise para verificar se há necessidade de execução de obras”.