Investimento previsto nos contratos é de R$ 3,3 bilhões em 40 anos, sendo R$ 1,2 bilhão em água e R$ 2,1 bilhões em esgoto

Às vésperas do aniversário de Guarulhos, a Sabesp anunciou nesta quarta-feira (4) o fim do rodízio de água na cidade e formalizou com a Prefeitura o acordo para que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo assuma definitivamente o tratamento de esgoto.

Anunciado em setembro pelo Governador João Doria, depois que a Sabesp passou a executar o tratamento de esgoto de forma emergencial no mês anterior, o contrato foi assinado nesta quarta-feira (4) na Estação de Tratamento de Água Cabuçu.

Participaram do evento o Vice-Governador, Rodrigo Garcia, o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, o presidente da Sabesp, Benedito Braga, o diretor da Região Metropolitana da Sabesp, Paulo Massato, a superintendente da Unidade de Negócio Norte da Sabesp, Debora Pierini Longo, e o prefeito Gustavo Henric Costa.

Operação

Desde janeiro, a companhia já opera o abastecimento de água e a coleta de esgoto. O investimento previsto nos contratos é de R$ 3,3 bilhões em 40 anos, sendo R$ 1,2 bilhão em água e R$ 2,1 bilhões em esgoto.

“Estamos trazendo duas grandes notícias para Guarulhos. A primeira é o fim do rodízio, após um ano de parceria da prefeitura com a Sabesp, com a realização de muitas obras. Com isso, estamos celebrando antes do prazo o fim do rodízio de água para 1,4 milhão de pessoas. A segunda grande notícia é que, com esse contrato entre o Estado e a prefeitura, a Sabesp passa a ser responsável pelo tratamento de esgoto, que hoje é de 12%. Até o fim de 2020, esse número subirá para 40%”, salientou Rodrigo Garcia.

“Isso significa mais saúde e qualidade de vida para a população. Com o tratamento do esgoto, haverá benefícios também para a população da Região Metropolitana de São Paulo”, completou o Vice-Governador.

“Esta é uma conquista da cidade de Guarulhos. A parceria com a Sabesp vem melhorando a qualidade de vida da população. Essa ação impactará positivamente a bacia do Rio Tietê e contribuirá significativamente para reduzir a carga de poluição nesse rio tão importante. Investir em saneamento básico é investir em saúde e na preservação do nosso meio ambiente”, ressaltou o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

Guarulhos conta atualmente com 100% de atendimento de água e 78% de atendimento de esgoto. O índice de tratamento, segundo a Prefeitura, é estimado em 12%. A meta é atingir 40% até dezembro de 2020 e ampliar esse número até a universalização.

“Gradativamente, aumentaremos além dos 40%, até chegarmos aos 100%. Ao longo dos próximos quatro ou cinco anos, vamos chegar a 70% do tratamento, que é o que temos na rede da Sabesp atualmente. Nossa previsão é que, em um prazo de 15 anos, teremos tratado completamente o esgoto de Guarulhos”, destacou o presidente da Sabesp, Benedito Braga.

Planejamento

A Sabesp iniciou um planejamento para expandir a estrutura, com a implantação de coletores-tronco e interligações, bem como a adequação de Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs). Além disso, duas instalações da Sabesp localizadas em pontos estratégicos da região leste de São Paulo são preparadas para receber o esgoto de Guarulhos: a ETE Parque Novo Mundo e a ETE São Miguel.

Além de melhorar a qualidade de vida da população de Guarulhos, principalmente em questões ligadas à saúde, a ampliação do tratamento de esgoto contribuirá para a despoluição da bacia do Rio Tietê.

A região já conta com obras em andamento do Projeto Tietê, programa de saúde pública focado na ampliação da coleta e do tratamento de esgoto que já beneficiou mais de 10 milhões de pessoas na Grande São Paulo. Do início do projeto, em 1992, até 2018, a coleta na Região Metropolitana de São Paulo passou de 70% para 89%; já o tratamento foi de 24% para 78%.

O trabalho vem contribuindo para a redução da mancha de poluição do Tietê, que apresenta tendência de queda histórica desde a década de 1990, ainda que com algumas flutuações momentâneas, segundo o relatório anual da SOS Mata Atlântica. A mancha, que era de 530 km em 1992, chegou a 163 km em 2019, uma redução de cerca de 70%.

Fim do rodízio

A Sabesp decretou o fim do rodízio de água às vésperas do aniversário de 458 anos de Guarulhos, comemorado no domingo (8). A medida foi possível com a conclusão de mais uma parte da adutora Ermelino Matarazzo/Cumbica, sistema que totaliza 9 quilômetros de tubulações, além da ampliação na rede de distribuição.

Essa etapa beneficiou as cerca de 100 mil pessoas que ainda sofriam com a restrição, que atingiu praticamente toda a população de 1,4 milhão de habitantes até o ano passado.

Desde que assumiu o saneamento no município, em janeiro, a companhia projetou mais de 80 obras de grande porte (a maioria já concluída) para expandir a infraestrutura de abastecimento de água, como as adutoras Ermelino Matarazzo/Cumbica, Tremembé/Cabuçu e a Cecap/Lavras; o sistema de bombeamento Cumbica Norte; a duplicação da rede São João/Lavras; a implantação da rede de distribuição Centenário/Vermelhão e o reservatório Bonsucesso.

O investimento da Sabesp é de cerca de R$ 80 milhões. Já foram realizados mais de 500 mil atendimentos a clientes. O índice de satisfação dos consumidores é de oito em uma escala de dez.

A Sabesp tem executado serviços de manutenção da infraestrutura existente e obras para redução de perdas, como consertos de vazamentos, trocas preventivas de hidrômetros e ramais, e o reparo de valas. Já foram feitos mais de 112 mil serviços operacionais. Ao longo de três anos, serão investidos mais de R$ 250 milhões nesses serviços.