O Estado de São Paulo recebeu nesta 4ª feira (30.dez.2020), 1,6 milhões de novas doses da vacina contra a covid-19 CoronaVac. Com o novo lote, o governo paulista tem 10,8 milhões de doses do imunizante.

A vacina foi criada pela farmacêutica chinesa Sinovac. É desenvolvida na América Latina pelo Instituo Butantan, de São Paulo.

O governador João Doria (PSDB-SP) usou a aposta do Estado na CoronaVac para ganhar projeção nacional. Ele chegou a divulgar um plano de vacinação estadual contra a covid-19 em 7 de dezembro, antes do Ministério da Saúde divulgar, em 16 de dezembro, um planejamento nacional. Também ofereceu vender doses da vacina para outros Estados.

No dia 25 de janeiro, reconfirmo, estaremos iniciando a vacinação aos brasileiros de São Paulo“, disse Doria em um vídeo publicado na manhã desta 4ª no perfil de Twitter dele.

O governo disse na gravação que a vacina será validada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em janeiro. Contudo, não há garantias de que o prazo será cumprido, já que ainda não foi feito o pedido de uso do imunizante para a agência.

A quantidade de doses presentes no solo paulista é suficiente para dar a primeira dose da CoronaVac nas 9 milhões de pessoas que o governo pretende vacinar na 1ª fase do plano estadual de imunização. De janeiro a março, São Paulo quer imunizar profissionais de saúde, indígenas, quilombolas e idosos.

A CoronaVac, no entanto, necessita de duas doses da vacina. Dessa forma, serão necessárias 18 milhões de unidades para garantir o sucesso da 1ª fase do plano.

Os estudos do imunizante já foram concluídos no Brasil. Em 25 de dezembro, o Estado de São Paulo divulgou que a eficácia do produto varia de 50% a 90%. O número exato deve ser divulgado em janeiro, já que a Sinovac pediu, em 22 de dezembro, prazo de até 15 dias para realizar a análise dos dados brasileiros.

Veja outras imagens do momento de chegada das novas doses em São Paulo:

Chegada de 1,6 milhão de Coronavac© Fornecido por Poder360 Chegada de 1,6 milhão de Coronavac

Carta pela vida

O governo paulista divulgou na 3ª feira (29.dez.2020) uma carta do Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo.

A carta pede para que os paulistas não se aglomerem neste fim de 2020 e começo de 2021. “Boa parte das pessoas que transmitem o coronavírus é assintomática, por isso festas, encontros sociais e aglomerações devem ser evitados neste momento. A ação consciente de todos neste período do ano é parte vital na contenção da propagação do vírus“, afirma.

Também pede para que medidas, como uso de máscaras, lavagem das mãos com água e sabão, e uso de álcool gel, sejam seguidas. “É fundamental que essas medidas sejam adotadas por todos, sem exceção, em um esforço coletivo para salvar vidas”, diz a carta.

Na 3ª feira (29.dez), o Estado registrou 12,4 mil casos e 293 mortes por covid-19. São Paulo soma 46.195 mortes e 1.440.229 casos confirmados desde o início da pandemia.

Leia a íntegra da carta:

O Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo é formado por uma equipe de 20 especialistas, entre médicos, cientistas, professores, epidemiologistas e infectologistas, que diariamente acompanham o cenário epidemiológico da covid-19 e atuam em conjunto com o governo do Estado de São Paulo com o objetivo primordial de salvar vidas.

Os números de casos, internações e óbitos por covid-19 no mês de dezembro apontam um crescimento da pandemia no Estado. A transmissão da doença retornou com força. O total de novos casos de coronavírus registrado no mês já é seis vezes maior do que em comparação à soma dos três primeiros meses da pandemia. O número de mortes é 60% superior ao total de vítimas fatais entre março e maio.

Com o intuito de conter a disseminação do vírus e, por consequência, o número de internações e óbitos, o Centro de Contingência indicou medidas de reforço da quarentena em todo o estado. No próximo final de semana (dias 1, 2 e 3) apenas os serviços essenciais funcionarão. Esta é mais uma ação que busca reduzir a circulação do vírus e controlar a pandemia.

O Centro de Contingência e a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo reforçam a importância da manutenção das medidas de proteção, como:

1 – Uso de máscaras;

2 – Respeito ao distanciamento social;

3 – Lavar as mãos com água e sabão;

4 – Uso de álcool gel;

5 – Evitar aglomerações.

É fundamental que essas medidas sejam adotadas por todos, sem exceção, em um esforço coletivo para salvar vidas.

Boa parte das pessoas que transmitem o coronavírus é assintomática, por isso festas, encontros sociais e aglomerações devem ser evitados neste momento. A ação consciente de todos neste período do ano é parte vital na contenção da propagação do vírus.

A situação atual exige que redobremos os esforços em favor do bem coletivo. A vacina está próxima, mas enquanto ela não chega a única forma de prevenção depende de cada um de nós. Mais do que nunca é preciso do envolvimento e solidariedade de todos.”

Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo e Governo de São Paulo“.

Fonte: MSN