Cosems-SP fez levantamento sobre quantidade de bloqueadores neuromusculares e sedativos disponíveis nos serviços municipais

Mais de 60% das secretarias municipais de saúde do Estado de São Paulo não têm mais medicamentos do chamado kit intubação, segundo levantamento do Cosems-SP (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de São Paulo).

O conselho levantou informações a respeito dos bloqueadores neuromusculares e sedativos disponíveis nos serviços municipais.

De acordo com os dados levantados pelo órgão, neste momento, 68% das cidades estão com autonomia zerada de bloqueadores em seus serviços, ou seja, não possuem mais estoque do medicamento. Outros 10% têm de 1 a 7 dias de autonomia para o uso dos bloqueadores.

Continua após o anúncio...

A situação é quase tão crítica em relação aos sedativos: 51% das cidades estão zeradas e 13% possuem autonomia de 1 a 7 dias.

“Como neste período não houve abastecimento por parte do Ministério da Saúde, algumas situações de maior gravidade foram contornadas pontualmente através de remanejamentos de estoques nas regiões de saúde”, explica o Cosems, em nota.

Confira as porcentagens completas de autonomia para bloqueadores e sedativos nos serviços de saúde de SP:

Em azul, autonomia para bloqueadores neuromusculares. Em laranja, de sedativos
Em azul, autonomia para bloqueadores neuromusculares. Em laranja, de sedativos
DIVULGAÇÃO/COSEMS-SP

Fonte: R7