Taça das Favelas 2020: segunda edição da competição será iniciada em março

0
197

Competição, que agora faz parte do calendário oficial da cidade de São Paulo, contará com a participação de mais de 2.800 atletas.

A Central Única das Favelas (CUFA) anunciou na manhã desta segunda-feira (2), no Museu do Futebol, os detalhes da 2ª Edição da Taça das Favelas. A competição, promovida com o apoio da Prefeitura de São Paulo, será iniciada no dia 28 de março e contará com a participação de 128 equipes, sendo 96 masculinas e 32 femininas, reunindo mais de 2.800 jogadores e jogadores de favelas da capital paulista.

Segundo o secretário municipal de Esportes e Lazer, Maurício Bezerra Landim, o principal objetivo da administração municipal é contribuir para formação de cidadãos. “A edição do ano passado foi um sucesso, com o Pacaembu lotado na final. Mas o mais importante é a inclusão social”, destacou.

A competição passa a integrar a partir de 2020 o calendário oficial da cidade de São Paulo. Para 2020, a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME) disponibilizou o campo do Centro Esportivo da Vila Manchester, no Carrão, na Zona Leste, para realização dos jogos da fase de grupos até a semifinal. A arquibancada do clube vai permitir a proximidade dos atletas com suas comunidades quando a bola estiver rolando. No total, a competição terá 190 jogos.

A grande final (feminina e masculina) acontece no dia 6 de junho, no Estádio do Pacaembu.

No ano passado, cerca de 35 mil pessoas compareceram ao Pacaembu para assistir às finais, que consagraram o Complexo da Casa Verde como campeão no feminino, e o Parque Santo Antônio no masculino.

“O futebol é uma das maiores ferramentas de inclusão social do mundo. O futebol não faz só o jogador de futebol, ele faz o cidadão. A Taça das Favelas está comprovando isso”, afirmou o pentacampeão mundial e um dos embaixadores da competição, Cafu.

Histórico

A Taça das Favelas começou no Rio de Janeiro, em 2012, organizada pela Central Única das Favelas. Atualmente, mais de 100 mil jovens participam, desde as peneiras iniciais nas comunidades até a final nos Estados onde a competição é realizada.

É o maior torneio entre favelas do mundo e, além de promover a inclusão e integração social, também revela jovens talentos para o futebol. O mais recente é Patrick de Paula, jogador profissional do Palmeiras que foi descoberto na Taça das Favelas do Rio de Janeiro. Após a 1ª edição do torneio em São Paulo, em 2019, cerca de 10 jovens foram chamados para testes em equipes profissionais.

Informações sobre as equipes participantes e o regulamento estão no site www.tacadasfavelas.com.br.