Governo estadual e prefeitura de Manaus foram notificados para informar a lista de todos os vacinados

O presidente do Tribunal de Contas do Amazonas, conselheiro Mário Mello, notificou o governo do Estado e o prefeito de Manaus a enviar à corte, no máximo em 24 horas, a lista de pessoas que foram vacinadas contra covid-19, após tomar conhecimento de que protegidos políticos estariam furando a fila de vacinação.

“Iremos fiscalizar e, se constatadas irregularidades, os responsáveis serão punidos”, avisou Mario de Mello.

Além de atribuir multas para o caso de descumprimento de sua ordem, Mello deixou claro que “o Tribunal de Contas do Amazonas não permitirá qualquer interferência política na campanha de vacinação no Estado ou que pessoas que não se enquadrem no Plano Nacional de Imunização contra o covid-19 sejam imunizadas”

O TCE do Amazonas recebeu denúncia de que jovens recém-formados em Medicina foram nomeados para cargos públicos momentos antes da vacinação, a fim de serem beneficiados com a imunização. Segundo o Plano Nacional de Imunizações, os profissionais da “linha de frente” de combate à covid estão no grupo prioritário.

“Vivemos um momento de colapso total dos sistemas de saúde e a vacina abriu um caminho de esperança diante desta pandemia”, lembrou o presidente do TCE-AM, referindo-se à trágica falta de oxigênio para pacientes de coronavírus, provocando a morte de vários profissionais da saúde.