O ministro André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) disse no domingo (11.out.2020) que traficantes de drogas “devem permanecer presos”. Ele se referia a André do Rap, considerado pela Justiça como 1 dos principais traficantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), e solto por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal).

“A decisão [de soltura, determinada pelo ministro Marco Aurélio Mello] foi revertida. Na nossa visão, o tráfico de drogas é um crime gravíssimo, é um crime que corrói as estruturas da sociedade brasileira, o Estado democrático. E os traficantes de drogas, principalmente aqueles que exercem uma alta função nos comandos do crime organizado, devem permanecer presos”, afirmou.

A declaração foi feita durante visita do ministro a servidores que sofreram uma queda do helicóptero da Força Nacional, quando atuavam no combate aos incêndios no Pantanal.

André Mendonça era ministro da AGU (Advocacia-Geral da União) quando o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei do pacote anticrime sem vetar o trecho que prevê a revisão de prisões preventivas a cada 90 dias. A norma foi citada por Marco Aurélio para determinar a soltura de André do Rap.

Depois da soltura de André do Rap, o presidente do STF, Luiz Fux, derrubou a determinação de Marco Aurélio. Mandou prender de novo André do Rap, que agora está foragido.

O caso degradou o ambiente no STF. Marco Aurélio disse ao Poder360 que a atitude do presidente da Corte é péssima para a boa convivência.

Fonte: MSN