A partir de quarta-feira (25), policiais militares e bombeiros terão acesso gratuito ao sistema de transporte, composto por ônibus, trens e metrôs

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nesta segunda-feira (23) novas medidas para conter a disseminação do novo coronavírus em São Paulo, estado que registra até o momento 631 casos confirmados, 22 mortes e 61 pacientes internados em unidades de terapia intesiva. Doria determinou que os setores de transporte, construção civil e fábricas não devem paralisar as atividades para evitar o desabastecimento em todos os municípios. 

Em relação ao setor de transportes, o governador determinou que a partir de quarta-feira (25), policiais militares e bombeiros terão acesso gratuito ao sistema de transportes, que inclui ônibus, trens, metrôs e todos os veículos sobre rodas. 

Doria afirmou ainda que as fábricas devem continuar operando e pediu que os gestores sigam as recomendações para adequar os estabelecimentos às condições adequadas para funcionamento. “São Paulo tem mais de 40% da produção industrial do país, por isso as fábricas devem continuar operando. Faço um apelo para os dirigentes dessas fábricas”, afirma ele. 

Em relação ao setor de construção civil, Doria afirmou que também deve continuar operando com os devidos cuidados sanitários para proteger e amparar funcionários . “Não podemos ter um blackout em obras de hospitais, ferrovias, metrô que atendem as necessidades da população e dos municípios.”

Quanto às borracharias e oficinas mecânicas, o governador determinou que devem continuar funcionandom uma vez que veículos de transporte como ambulância e de polícia precisam ter suportes para atender a população. 

Doria também determinou que caminhoneiros “não bloqueiem estradas para que o transporte seja realizado normalmente.” O governador afirmou que uma vez que São Paulo é o maior centro de abastecimento do país a paralisação causaria significativos prejuízos.

Em relação aos postos de combustíveis, o governador afirmou que esses estabelecimentos podem vender produtos elaborados ou não perecíveis, porém não devem funcionar como restaurantes, uma vez que o serviço está proibido. “Só não podem fazer serviços sentados ou em balcões”, disse Doria.

O governador disse ainda no início da coletiva de imprensa que após uma reunião com 132 empresários foram arrecadados R$ 96 milhões oferecidas por 28 empresas em doações para os setores mais necessitados. “Façam doações, compre cestas básicas e o que puder para contribuir, principalmente de kits de higiene e cestas básicas.”