- Propaganda -spot_img
InícioAtualidadesTURISMO: A Joia de Ipojuca

TURISMO: A Joia de Ipojuca

- Propaganda -spot_img

A história desse lindo lugar está ligada ao tráfico de escravos negros que vinham amontoados nos porões dos navios. Os navegantes  que traziam os negros tinham que fugir da fiscalização na capitania dos portos, sede do governo.

Em Ipojuca, Pernambuco, existe um recanto aprazível   à `beira do mar, que se tornou um “point turístico” internacional. É um lugar esplendoroso de clima agradável e com um povo muito caloroso e acolhedor. Interessante destacar que suas paisagens singulares, belíssimas, fazem paralelo com a simplicidade das pessoas que lá habitam. Esse lugar chamado Porto de Galinhas é um patrimônio cultural universal. Tem um passado interessantecujas origens remontam ao tempo da invasão holandesa e ao período da escravatura. Sua história só veio ser conhecida depois que o repórter Luciano do Vale empreendeu uma missão de descoberta para o programa Globo Reporter, em 1975 aproximadamente, relatando seus atrativos da fauna marinha , com o objetivo de conscientizar a população a respeito da preservação ambiental no que tange a um  banco de corais existente à distância de apenas um quilômetro mar a dentro..

As reminiscências da história do resort estão ligadas ao tráfico de escravos negros que vinham amontoados nos porões dos navios. Os navegantes  que traziam os negros tinham que fugir da fiscalização na capitania dos portos, sede do governo.

Para  despistar,  traziam um monte de engradados sobre o  convés, simulando uma grande carga, então  gritavam; “Tem galinha no porto!”, e seguiam  para um ponto  mais ao sul, onde descarregavam  o contrabando.  Os compradores de escravos, alertados por aquela senha -“Tem galinha no porto!”, seguiam  para aquele ponto  costumeiro, a fim de negociar,  no lugar que era apenas uma colônia de pescadores. Daí que nasceu o nome do local, Porto de Galinhas, um povoado crescente que recebe grande caravana diariamente em seus hotéis, pousadas, pensões, restaurantes, bares etc. Nada havia de importante  naquela vila  até o século XX. De repente, graças a um fato jornalístico, tudo mudou  e aquele reduto de pescadores começou a ser visitado por gente de todo o país e do mundo inteiro, para conhecer o fenômeno das marés que revela uma colônia de  corais  e  uma  orla  marinha fervilhante de  vida animal  de variadas espécies de peixes ornamentais,  ouriços, algas,  além de mangues, estuários,  areia branca, coqueirais, piscinas naturais de aguas claras e mornas formadas entre corais. Nos anos seguintes os pescadores fundaram uma colônia de embarcações  para conduzir os visitantes a verem  os pontos de interesse de pessoas ecologistas, cientistas naturais e mesmo turistas simplesmente que se encantam com  as belezas naturais. Fontes auxiliares:  Google e  Wikipaedia / Visita realizada em  março de 2017.

Jetty Almark

- Propaganda -spot_img
Deve ler!
- Propaganda -spot_img
Notícias relacionadas
- Propaganda -spot_img

Deixe uma resposta.

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui