Gabriel Moreira (Cascão), Giulia Benite (Mônica), Kevin Vechiatto (Cebolinha) e Laura Rauseo (Magali) Foto: Divulgação

Longa marca a primeira vez em que os personagens de Mauricio de Sousa são interpretados por atores no cinema e entra em cartaz apostando alto, com 700 salas de exposição.

Primeiro live-action dos personagens de Maurício de Sousa é uma adaptação dos quadrinhos de Vitor e Lu Cafaggi e fala sobre trabalho em equipe e empatia

Seis anos após o sucesso da publicação da graphic novel ‘Turma da Mônica: Laços’, escrita pelos irmãos Vitor e Lu Cafaggi, a história chega aos cinemas no dia 27 de junho

No pacato bairro do Limoeiro, a rotina dos personagens mais queridos dos gibis é virada de cabeça para baixo quando Floquinho, o cãozinho de Cebolinha (Kevin Vechiatto), é sequestrado misteriosamente. Para salvar o animal de estimação do amigo, Mônica (Giulia Benite), Magali (Laura Rauseo) e Cascão (Gabriel Moreira) embarcam em uma aventura pela floresta para trazer o cachorro são e salvo de volta para a casa. No caminho, as crianças vão ter de aprender a lidar com suas diferenças e a combiná-las para agir em equipe.

Enquanto Cebolinha se esforça para liderar o grupo rumo ao resgate de Floquinho, Mônica mostra quem manda, sem se desgarrar de seu coelhinho Sansão. A empatia e união das personagens, porém, é que vão determinar o sucesso da missão. Entre uma caminhada e outra, Magali para para fazer uma boquinha e Cascão se dedica a não se molhar com uma gota d’água sequer. Com participação dos atores Rodrigo Santoro, Monica Iozzi e Paulo Vilhena, o filme de Daniel Rezende (Bingo: O Rei das Manhãs) traz também para as telonas personagens secundários queridos como o Louco, Dona Luísa e Seu Cebola.

Ver os personagens de Maurício de Sousa em carne e osso na primeira adaptação live-action da Turma marca uma nova fase para o sucesso dos gibis. O legado do cartunista se adapta para resistir ao tempo e cativar uma nova geração de fãs: os pequenos que, desde cedo, já estão acostumados a acompanhar sagas transmidiáticas, que tem suas versões no papel, nos games, em filmes ou séries — tudo o mesmo tempo.

Afinal, o filme conversa mesmo é com o público infantil. O que não impede que os fãs de longa data se identifiquem com as personagens que os introduziram à paixão pela leitura e ao mundo dos quadrinhos, fazendo-os revisitar momentos da infância entre as brigas e os abraços das personagens.

Visite o site: http://www.turmadamonicaofilme.com.br/