O Twitter suspendeu “de modo permanente” a conta do presidente americano Donald Trump, que tinha 88,7 milhões de seguidores e o usava como seu principal instrumento de comunicação. Todas as suas mensagens estão fora do ar.

Na quarta-feira, após a invasão ao Congresso por apoiadores de Trump para tentar barrar a sessão de certificação da vitória de Joe Biden, o Twitter já suspendera a conta do presidente por 12 horas, condicionando a sua liberação à exclusão de mensagens e a Trump não postar conteúdo que fosse avaliado como incitador da violência.

Em um comunicado, o Twitter alegou que decidiu banir a conta do presidente porque ele desrespeitou a cláusula. A rede social disse ter baseado-se em duas mensagens de Trump:

“Os 75 milhões de grandes patriotas americanos que votaram em mim, nos ESTADOS UNIDOS PRIMEIRO e em TORNAR OS ESTADOS UNIDOS GRANDES OUTRA VEZ, terão uma VOZ GIGANTE por muito tempo no futuro. Eles não serão desrespeitados ou tratados injustamente de nenhuma forma, seja como for!!! ”

Pouco depois, o presidente publicou: “A todos os que pediram, não irei à posse no dia 20 de janeiro.” Em sua análise, a rede social justificou que a recepção das mensagens, “dentro e fora do Twitter”, acarretava em risco à violência.

Fonte: Jornal O Globo / imagem em destaque: Reprodução