Após críticas, aplicativo trabalha nova abordagem para comunicar a transição. A partir de 15 de maio, novos dados serão compartilhados com o Facebook.

WhatsApp divulgou nesta quinta-feira (18) mais detalhes sobre a transição para sua nova política de privacidade. A empresa trabalha com uma nova abordagem para comunicar as mudanças no aplicativo, que geraram uma repercussão negativa.

Depois de ser anunciada para entrar em vigor em 8 de fevereiro, o aplicativo estendeu o prazo para 15 de maio com o objetivo de esclarecer dúvidas dos usuários. No início de 2021, o WhatsApp começou a lançar avisos no app sobre os novos termos.

WhatsApp terá novo alerta sobre mudança na política de privacidade — Foto: Divulgação

A nova política de privacidade garante o compartilhamento de dados com o Facebook, dono do app de mensagens, e está relacionada com funções como o carrinho de compras em conversas com lojas, anunciado em dezembro passado.

Será necessário aceitar as novas regras para continuar utilizando o aplicativo. Caso contrário, o usuário terá que encerrar sua conta.

“Os usuários querem confirmar que o WhatsApp não pode ler ou ouvir suas conversas pessoais”, disse o aplicativo, em comunicado.

A empresa afirma que todas as mensagens – de texto, áudio, vídeo e imagens – são criptografadas de ponta a ponta, o que significa que somente o remetente e destinatário podem ver a mensagem.

A empresa também ressalta que não mantém registros sobre com quem os usuários estão conversando e que não compartilha listas de contatos com o Facebook, pontos vistos como preocupações de parte dos usuários.

A nova política de privacidade, porém, deixa de garantir a proteção da criptografia em conversas com contas comerciais, aquelas usadas por empresas.

Imagine, por exemplo, uma grande varejista que ofereça atendimento pelo WhatsApp. Os atendentes não respondem por um celular, mas por ferramentas que gerenciam os chats. Como existe um terceiro armazenando e gerenciando interações com empresas, o WhatsApp não consegue garantir a criptografia ponta a ponta para essas conversas.

Nova forma de comunicação

De acordo com o WhatsApp, alguns usuários verão um pequeno banner para verificarem as políticas. A comunicação substitui o alerta de tela inteira feito anteriormente, que acabou gerando estranheza.

Aviso enviado em janeiro pelo WhatsApp gerou estranheza — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal
Aviso enviado em janeiro pelo WhatsApp gerou estranheza — Foto: Reprodução/Arquivo pessoalhttps://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

“Entendemos que os usuários preferem esse tipo de abordagem”, disse o app, sobre o novo alerta. No aviso, será possível ter acesso a informações sobre as novas regras de privacidade.

Desde janeiro, a empresa também vem divulgando os detalhes da transição por meio do “Status” – publicações que parecem os Stories do Instagram.

O WhatsApp afirma que as novidades da política de privacidade estão centradas em interações com empresas, mas o novo texto prevê a coleta de dados que não estavam presentes na versão anterior do documento.

Entre eles: carga da bateria, operadora de celular, força do sinal da operadora e identificadores do Facebook, Messenger e Instagram que permitem cruzar dados de um mesmo usuário nas três plataformas.

Embora o WhatsApp mostre em sua política quais são os fins da coleta de dados, não há um detalhamento individual.

(Correção: o G1 errou ao informar que a nova política de privacidade do WhatsApp entrará em vigor em 18 de maio; a data é 15 de maio. A informação foi corrigida às 18h50)

Informações publicadas no Status do WhatsApp — Foto: Divulgação
Informações publicadas no Status do WhatsApp — Foto: Divulgação

Fonte: G1